This content is not available in your region

Tempestade mata no Rio de Janeiro na ressaca do Carnaval

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques  com Lusa
Tempestade provoca inclusive colpaso da ciclovia de São Conrado
Tempestade provoca inclusive colpaso da ciclovia de São Conrado   -   Direitos de autor  REUTERS/Sergio Moraes

Aumenta para quatro o número de mortos em consequência das fortes chuvas que caíram desde o início da madrugada desta quinta-feira na cidade brasileira do Rio de Janeiro, provocando inundações e deslizamentos de terra na ressaca do Carnaval "carioca".

De acordo com fontes oficiais, a tempestade deixou vários bairros inundados, com rios a transbordar e várias ruas e avenidas intransitáveis, com o número de mortos a ser de quatro até ao momento, existindo também, pelo menos, três pessoas feridas.

Em algumas zonas da cidade choveu o previsto para todo o mês de fevereiro.

A zona norte do Rio de Janeiro foi a mais afetada. Em especial, o bairro Quintino Bocaiuva, onde as paredes de uma casa desabaram e causaram duas mortes.

De acordo com os Bombeiros, o veículo de um agente da Polícia Militar que circulava na zona oeste foi atingido por uma árvore que caiu devido à tempestade. O agente de autoridade também agravou o balanço de vítimas mortais.

A quarta fatalidade foi um adolescente de 15 anos, noticiou O Globo. O rapaz terá sido arrastado pela corrente provocada por uma repentina inundação, que arrastou lixo e inclusive objetos como sofás, televisores e "até um carro" , escreve o portal.

A água terá subido mais de três metros na parte baixa de Cascadura, na zona norte do Rio de Janeiro, onde mora a família da jovem vítima, identificado como Antônio Marcos Pereira Batista.

A chuva deixou vários bairros da "cidade maravilhosa" inundados e sem luz, o que levou as autoridades da Defesa Civil a aumentar o alerta para a escala máxima.

A tempestade também causou a queda de árvores em pelo menos 20 ruas da cidade, o que interrompeu o trânsito em algumas das vias rápidas mais importantes do Rio de Janeiro, como a rodovia Grajaú-Jacarepaguá e a Avenida Brasil.

Outras, como a Linha Amarela, a Linha Vermelha e a estrada entre o Rio de Janeiro e a cidade de Petrópolis também foram inundadas.

A Avenida Ayrton Senna, localizada na zona oeste da cidade no bairro da Barra da Tijuca, sofreu enchentes que atingiram o metro.

A chuva na zona oeste também derrubou um troço da ciclovia Tim Maia.

O aeroporto internacional do Rio de Janeiro teve de suspender as operações por algumas horas e alguns voos foram desviados para outras cidades.

Outras fontes • Globo