Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Alexander Krushelnitsky nega doping e aguarda investigação do COI

Alexander Krushelnitsky nega doping e aguarda investigação do COI
Direitos de autor
REUTERS/Cathal McNaughton
Tamanho do texto Aa Aa

Que impacto vai ter o caso de doping de Alexander Krushelnitcsky no destino do Comité Olímpico russo?

Esta é a questão que paira no ar, depois do Comité Olímpico Internacional (COI) declarar que vai ser um grupo especial a decidir sobre este processo.

Em causa está também a marcha dos atletas russos sob a bandeira olímpica na cerimónia de encerramento dos Jogos de Pyeongchang.

Recorde-se que a Rússia tinha sido proibida de participar enquanto país na competição, mas que os atletas que não estivessem envolvidos no anterior escândalo de doping poderiam participar sob a bandeira olímpica. Esse entendimento deu origem à terceira maior delegação em Pyeongchang.

"O painel vai avaliar o caso em toda a sua extensão e tomar uma decisão que será comunicada ao Conselho Executivo no sábado à tarde. E então vamos ver qual o passo seguinte, mas tenho a certeza de que eles vão olhar para todos os aspectos que considerem relevantes para o caso. Não serei eu a dizer se é ou não relevante", afirmou Mark Adams, porta-voz do COI.

Apesar do controlo antidoping ter detetado meldonium, Krushelnitsky, que venceu o bronze no curling misto, negou ter recorrido a substâncias proibidas.

"Nós temos uma versão. Só a anunciaremos durante a investigação. Ao longo da minha carreira tive uma grande quantidade de torneios e competições, sempre fizeram testes de doping e todos foram negativos. Estamos muito interessados na investigação, pois o nosso nome, a nossa carreira e a nossa vida desportiva estão em jogo."

Curiosamente, o atleta de 25 anos não desmente ter consumido meldonium antes de ter sido proibido pela Agência Mundial de Antidopagem: "O meldonium foi banido no final de 2015 e eles pararam de nos dar. Honestamente, antes disso, nem sabia que tomava meldonium, o nosso médico dava-nos comprimidos e nós tomávamos".

A confirmar-se, este é o primeiro caso de doping no curling nuns Jogos Olímpicos de inverno.