Última hora

Última hora

Judo: Japão lidera 1º dia de provas na Alemanha

Em leitura:

Judo: Japão lidera 1º dia de provas na Alemanha

Judo: Japão lidera 1º dia de provas na Alemanha
Tamanho do texto Aa Aa

No dia primeiro dia do Grand Slam de Judo Dusseldorf a ucraniana Daria Bilodid brilhou, mais uma vez, ao levar a terceira medalha de ouro, em competições mundiais.

Depois de chegar, com estilo, à final, enfrentou Eva Csernoviczki da Hungria. Ali esperou até ao ponto de ouro para finalizar em grande, com um maravilhoso uchimata que só poderia terminar com uma vitória, sem margem de erro, por ippon.

Tunes, Paris e agora Düsseldorf, 2018 está a ser um ano incrível para a judoca. Ela é a nossa mulher do dia.

"Estou feliz por ter ganho esta medalha de ouro. É apenas o começo do ano e vou tentar ser a melhor do mundo. É isso que eu realmente. Gosto de ganhar, o que é que posso dizer', desabafou a jovem.

O homem do dia é do Japão. Nos -66kg Kenzo Tagawa superou o explosivo Georgii Zantaraia que tinha estado imparável o dia todo. O ucraniano teve uma performance fantástica nas lutas eliminatórias. Mas o 205º classificado do ranking, Tagawa derrotaria, na final, Zantaraia com um dramático waza ari, no ponto de ouro.

Depois de uma dececionante primeira incursão no Grand Slam de Tóquio, ou seja em casa, Tagawa sai vitorioso de Dusseldorf.

"Depois da minha derrota no Grand Slam de Tóquio, eu não fazia, inicialmente, parte da equipa japonesa para este evento, tendo isso em consideração estou muito aliviado e feliz por ganhar aqui", afirmou o judoca.

Na categoria -52kg, a campeã mundial Ai Shishime voltou ao pódio depois de uma vitória contra a polaca Karolina Pienkowska na final.

Na mesma categoria a brasileira Erika Miranda venceu a sua série mas acabou derrotada na semifinal. Já a portuguesa Mariana Esteves, perdeu, por ippon, na primeira luta contra a brasileira Eleudis Valentim que também não vingou.

Já o Japão conquistava mais um ouro, nos -60 quilos. Ryuju Nagayama derrotou o russo Robert Mshvidobadze por waza ari na final.

Nos -57 quilos a britânica Nikoda Smythe Davis bateu Hedvig Karakas, da Hungria, na final. Foi uma luta emocionante. Karakas assumiu a liderança depois de um passo para waza ari... Smithe Davis não quebrou e pagou na mesma moeda. Foi no ponto de ouro que um segundo waza ari, para a britânica, lhe dava a quinta medalha do Grand Slam, mas a primeira de ouro, o que a catapultou para número três do mundo.

O movimento do dia surgiu da luta para a medalha de bronze de -60 quilogramas. O Brasil conquistou nesta categoria a sua primeira medalha. Eric Takabatake foi derrotado nos quartos-de-final, foi a repescagem que lhe garantiu o terceiro lugar no pódio, no duelo contra Fraj Dhoubi da Tunísia.

Uma categoria em que o português João Abreu foi arredado no primeiro duelo.

Também não foi o dia de Sergiu Oleinic (-66 kg), o judoca luso perdeu também na estreia, frente ao israelita Tal Flicker, por waza-ari.

As maiores esperanças portuguesas centram-se agora em Jorge Fonseca, nos -100 kg, que entra em cena no domingo, último dia de provas.