Tentáculos da máfia nos últimos trabalhos de Kuciak

Tentáculos da máfia nos últimos trabalhos de Kuciak
De  Lurdes Duro Pereira com Reuters, AFP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Uma das reportagens envolve uma antiga Miss Universo que terá fundado uma empresa com um italiano suspeito de ligações à Ndrangheta. A antiga Miss Universo viria a tornar-se, mais tarde, assistente do atual primeiro-ministro eslovaco

PUBLICIDADE

O homicídio de um jornalista de investigação, ainda por esclarecer, provocou a primeira baixa no Governo eslovaco.

"A minha demissão resulta de uma decisão pessoal que nada tem a ver com questões políticas. Como ministro da Cultura não consigo lidar com o facto de um jornalista ter sido assassinado durante o meu mandato " afirma Marek Madaric, ministro da Cultura demissionário.

Os últimos trabalhos de Jan Kuciak - abatido a tiro juntamente com a namorada, em casa, nos arredores da Bratislava - foram, entretanto, publicados.

Uma decisão tomada pelo OCCRP, Projeto para a Divulgação do Crime Organizado e Corrupção, um grupo de jornalistas de investigação sem fins lucrativos centrado na Europa de Leste e Ásia Central que contava com a participação de Kuciak.

Uma das reportagens envolve uma antiga Miss Universo e empresária. Maria Troskova terá fundado uma empresa com um italiano suspeito de ligações à Ndrangheta. A antiga Miss Universo viria a tornar-se, mais tarde, assistente do atual primeiro-ministro eslovaco.

O outro trabalho de investigação publicado, esta quarta-feira, também está ligado à máfia italiana. Mais concretamente, à forma como o grupo terá conseguido através dos proprietários de terrenos obter subsídios da União Europeia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Detidos suspeitos da morte de Jan Kuciak

Franco Roberti à Euronews: "A máfia não é um problema exclusivamente italiano"

Repórter de investigação abatido a tiro