Última hora

Última hora

Toys'R'Us entra na bancarrota também no Reino Unido

Em leitura:

Toys'R'Us entra na bancarrota também no Reino Unido

Toys'R'Us tem os dias contados no Reino Unido
@ Copyright :
REUTERS/Peter Nicholls/File Photo
Tamanho do texto Aa Aa

A Toys'R'Us do Reino Unido entrou em bancarrota e a gestão foi entregue a uma administração especial da Moorsfields, uma empresa especializada em insolvências.

A crise da retalhista multinacional de brinquedos começou a fazer-se sentir quando apresentou pedidos de insolvência nos Estados Unidos e no Canadá, por dívidas de quase 5 mil milhões de dólares (cerca de 4,1 mil milhões de euros).

No Reino Unido, a subsidiária da empresa criada nos Estadois Unidos apresenta só em termos de dívida fiscal cerca de 17 milhões de libras (quase 17 milhões de euros).

A subsidiária britânica publicou uma nota na página oficial da internet explicando aos clientes a nova situação da empresa e os procedimentos para reembolsos, trocas, cartões-oferta e outras questões relacionadas com a relação retalhista-consumidor.

A represdentação em Portugal e Espanha não parece estar em risco. Num comunicado citado pelo Dinheiro Vivo (DV), a Toys'R'Us da Península Ib´erica garantiu que, "em Portugal e Espanha, este processo de insolvência não afetará o normal funcionamento de todas as lojas."

"Em Portugal e Espanha muitos pontos de venda estão a modernizar-se; estamos atentos a novas oportunidades para encontrar novos locais e expandir a nossa rede nos mercados”, lê-se num comunicado também citado pelo DV assinado por Jean Charretteur, diretor-geral para França e Península Ibérica, no qual é acrescentada a “implementação de uma nova plataforma online, bem como serviços adicionais como 'Click & Collect'.”

No Reino Unido, todas as 105 lojas da cadeia Tys R Us vão continuar abertas até ordem em contrário da nova administração para a insolvência, cuja missão será tentar encontrar entretanto um comprador para a empresa.

Os serviços de venda pela internet e o "Click & Collect" vão ser encerrados de imediato. Estão em perigo mais de três mil postos de trabalho.

O retalhista deverá entrar em liquidação muito em breve, adianta a BBC, acrescentando o fecho de pelo menos 26 das 105 lojas da cadeia britânica durante a próxima primavera.

A correspondente da televisão pública britânica, Emma Simpson, sublinha o facto de sete dos últimos oito anos fiscais terem sido encerrados pela Toys'R'Us-UK no vermelho.

A empresa "tem sido incapaz de se adaptar aos novos hábitos de concumo" numa altura em que muitos dos que fazem compras "já não querem ou não precisam de conduzir 20 minutos até um armazém fora das cidades para comprar brinquedos", alega Emma Simpson.

A instabilidade do mercado retalhista britânico (pouco depois da Toys'R'Us também a Maplin, um retalihista eletrónico, pediu insolvência) está a ser também relacionado como um reflexo do "brexit" e da consequente desvalorização da libra.

O divórcio unilateral do Reino Unido com a União Europeia afetou a confiança dos consumidores e retirou segurança ao crédito, assumiu Graham Harris, o diretor-executivo da Maplin.