Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Caso Kuciak: Primeiro-ministro da Eslováquia poderá renunciar

Robert Fico, primeiro-ministro da Eslováquia
Robert Fico, primeiro-ministro da Eslováquia -
Direitos de autor
REUTERS/Radovan Stoklasa
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Na sequência da crise política despoletada com o assassinato do repórter de investigação Jan Kuciak, o primeiro-ministro da Eslováquia, Robert Fico, admite renunciar ao cargo, desde que não haja eleições antecipadas. Fico espera que o Presidente do país concorde que o próximo chefe de Governo seja escolhido pelo Smer, principal partido no poder, de centro-esquerda.

"Convocar eleições antecipadas na Eslováquia é a solução mais justa"

Ivan Štefanec Eurodeputado, centro-direita, Eslov´áquia

Esta crise foi alvo de debate, quarta-feira, no plenário do Parlamento Europeu, em Estrasburgo, tendo um eurodeputado ecologista húngaro realçado a pertinência do trabalho de Kuciak sobre corrupção.

"A conclusão da visita que fiz à Eslováquia é que existe um problema sistémico em relação ao controlo sobre a utilização dos fundos da União Europeia em vários países, incluindo na Eslováquia", disse, à euronews, Benedek Jávor, que visitou recentemente aquele país.

O crime, a 25 de fevereiro, que vitimou também a noiva do jornalista, levou à maior onda de deprotestos populares desde o fim do comunismo, há quase três décadas.

Ainda não foi apresentada nenhuma acusação sobre a presumível autoria do crime.

"Convocar eleições antecipadas na Eslováquia é a solução mais justa para o país neste momento", disse, à euronews, Ivan Štefanec, eurodeputado eslovaco do centro-direita, partido na oposição no seu país.

Robert Fico está a tentar salvar o governo de coligação composto por três partidos, desde que um deles ameaçou abandonar o executivo se não for convocado um novo escrutínio.