Última hora

Última hora

Marcelo e Costa lembram soldados caídos em La Lys

Em leitura:

Marcelo e Costa lembram soldados caídos em La Lys

Marcelo e Costa lembram soldados caídos em La Lys
Tamanho do texto Aa Aa

Uma homenagem ao soldado desconhecido, no Arco do Triunfo, em Paris: Foi assim que o presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, e o primeiro-ministro António Costa, acompanhados pela presidente da câmara parisiense, Anne Hidalgo, começaram a série de tributos aos portugueses caídos na batalha de La Lys, há exatamente cem anos.

António Costa lembrou que a participação portuguesa na Primeira Guerra Mundial foi uma prova de que "o compromisso português com a Europa não começou em 1986 (data da entrada de Portugal para a CEE) e já existia em 1918".

Para o presidente, esta visita é, sobretudo, a oportunidade para mais um contacto com os muitos portugueses que aqui vivem: "Mesmo estando a lembrar um acontecimento trágico, é sempre bom estar com todos estes portugueses, cerca de dois milhões, contando com os lusodescendentes, que vivem em França. Mesmo sendo franceses e integrados na sociedade francesa, são, acima de tudo, portugueses", disse Marcelo Rebelo de Sousa.

As comemorações prosseguem com um concerto da cantora Ana Laíns na cidade de Béthune e têm o ponto alto esta segunda-feira com a homenagem conjunta dos chefes de Estado português e francês no cemitério militar português de Richebourg. Ainda no âmbito destas comemorações, António Costa esteve na antestreia do filme "Soldado Milhões", sobre a figura mais emblemática deste episódio da Primeira Guerra Mundial.

A 9 de abril de 1918, a batalha de La Lys foi o episódio mais negro da participação do Corpo Expedicionário Português na Grande Guerra, embora os historiadores não estejam de acordo sobre o número de mortos, que pode ter ultrapassado os 1300, só entre as tropas portuguesas.