Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Marcelo e Costa lembram soldados caídos em La Lys

Marcelo e Costa lembram soldados caídos em La Lys
Tamanho do texto Aa Aa

Uma homenagem ao soldado desconhecido, no Arco do Triunfo, em Paris: Foi assim que o presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, e o primeiro-ministro António Costa, acompanhados pela presidente da câmara parisiense, Anne Hidalgo, começaram a série de tributos aos portugueses caídos na batalha de La Lys, há exatamente cem anos.

António Costa lembrou que a participação portuguesa na Primeira Guerra Mundial foi uma prova de que "o compromisso português com a Europa não começou em 1986 (data da entrada de Portugal para a CEE) e já existia em 1918".

Para o presidente, esta visita é, sobretudo, a oportunidade para mais um contacto com os muitos portugueses que aqui vivem: "Mesmo estando a lembrar um acontecimento trágico, é sempre bom estar com todos estes portugueses, cerca de dois milhões, contando com os lusodescendentes, que vivem em França. Mesmo sendo franceses e integrados na sociedade francesa, são, acima de tudo, portugueses", disse Marcelo Rebelo de Sousa.

As comemorações prosseguem com um concerto da cantora Ana Laíns na cidade de Béthune e têm o ponto alto esta segunda-feira com a homenagem conjunta dos chefes de Estado português e francês no cemitério militar português de Richebourg. Ainda no âmbito destas comemorações, António Costa esteve na antestreia do filme "Soldado Milhões", sobre a figura mais emblemática deste episódio da Primeira Guerra Mundial.

A 9 de abril de 1918, a batalha de La Lys foi o episódio mais negro da participação do Corpo Expedicionário Português na Grande Guerra, embora os historiadores não estejam de acordo sobre o número de mortos, que pode ter ultrapassado os 1300, só entre as tropas portuguesas.