A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

ONU reúne de urgência após ataque químico na Síria

ONU reúne de urgência após ataque químico na Síria
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Por motivos radicalmente opostos, tanto a Rússia como os Estados Unidos pediram uma reunião de urgência do Conselho de Segurança das Nações Unidas esta segunda-feira. Em causa está o alegado ataque químico do regime sírio no enclave rebelde de Douma, que fez mais de 70 mortos, incluindo várias crianças.

Andy Oppenheimer, especialista em armamento, recorda o seguinte: "Em 2013, a Síria devia supostamente ter declarado e desmantelado todo o seu arsenal químico. Eles tinham um stock muito significativo, provavelmente o maior do mundo a seguir às grandes potências. Mas é óbvio que não mostraram tudo o que tinham. O cloro, certamente não o fizeram".

A França alinhou-se com os Estados Unidos numa imensa condenação internacional do ataque e Donald Trump declarou mesmo que os responsáveis vão "pagar um preço elevado".

Tanto a Síria como o aliado russo negam o recurso a armas químicas e apontam as informações divulgadas como falsas.