Última hora
This content is not available in your region

Yulia Skripal recusou ajuda da embaixada russa

euronews_icons_loading
Yulia Skripal recusou ajuda da embaixada russa
Direitos de autor  reuters
Tamanho do texto Aa Aa

A embaixada russa no Reino Unido decidiu disponibilzar ajuda, através do Twitter, a Yulia Skripal, vítima do ataque com um agente neurotóxico, em Salisbury, no passado 4 de março.

Na conta da embaixada na rede social, foi escrito, no dia em que Yulia teve alta hospitalar:

"Damos os parabéns a Yulia Skripal pela recuperação. Precisamos de uma prova urgente que nos diga que o que está a ser feito por Yulia está a ser feito por livre vontade da própria."

Embaixada Russa no Reino Unido

Yulia, dois dias depois, agradeceu o gesto e resusou a ajuda da embaixada. Numa nota de imprensa, divulgada pela polícia britânica, Yulia deixou claro que não quer qualquer ajuda dos serviços russos.

"Neste momento não quero aproveitar os serviços deles, mas, caso mude de ideias, irei contactar-vos.", escreveu.

Yulia Skripal. 33 anos, foi vítima de um ataque químico, tal como o seu pai, Serguei Skripal, ex-espião russo. Ambos foram imediatamente internados. Yulia teve cuidados médicos durante um mês e o pai, Serguei Skripal, de 66 anos, continua internado no hospital de Salisbury.

O Reino Unido continua a culpar o governo de Putin pelo ataque. A Rússia não aceita as acusações.

Este caso tem levantado tensões ao país de Putin e tem levado a decisões políticas nunca antes vistas.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.