Última hora

Última hora

As figuras do segundo dia no Grande Prémio de Judo de Hohhot

Em leitura:

As figuras do segundo dia no Grande Prémio de Judo de Hohhot

As figuras do segundo dia no Grande Prémio de Judo de Hohhot
Tamanho do texto Aa Aa

Foi com uma celebração do património cultural mongol na cidade que se iniciou o segundo dia do Grande Prémio de Judo de Hohhot, na China.

Uma cerimónia de abertura especial que parece ter inspirado Sanne Van Dijke. A judoca holandesa, de 22 anos, foi a mulher do dia, ao impor-se num cartaz recheado de estrelas na categoria de -70 quilos.

No combate final, contra a canadiana Kelita Zupancic, a vitória foi alcançada com um excelente contra-ataque que lhe valeu um decisivo ponto waza-ari.

Uma partida perfeita de Sanne Van Dijke para a fase de qualificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 e um aviso de peso a toda a concorrência.

"Penso que foi ainda melhor por o nível da prova ter sido tão elevado, assim a pressão foi um pouco menor. Apenas queria combater ao máximo e depois logo se via como tudo acabava", afirmou.

Já entre os homens, o protagonismo recaiu no sul-coreano An Changrim. Sem conseguir uma medalha de ouro no Circuito Mundial desde 2016, o número três do mundo na categoria de -73 quilos exibiu um judo de grande nível, com destaque para a vitória por ippon sobre o chinês Xu Rigang.

Para o combate decisivo ficou guardado o maior adversário: o campeão do mundo e número um do ranking, o japonês Hashimoto Soichi.

An Changrim conseguiu atirar ao tapete o favoritismo do judoca nipónico, escapando a um perigoso contra-ataque para selar o triunfo e a ascensão ao lugar mais alto do pódio na competição, onde o português Jorge fernandes também se destacou com o sétimo lugar.

Uma vitória marcante para An Changrim e que reforça a confiança do sul-coreano para o futuro.

"Desde 2016 que não ganhava um evento do Circuito mundial de judo e já era um hábito para mim perder nestes grandes torneios. Ser capaz de superar isso foi um dos meus principais objetivos para esta prova, e poder concretizá-lo foi um grande alívio para mim. Já conheço e luto contra Hashimoto desde a universidade, por isso conhecemo-nos muito bem. Poder superá-lo aqui, num palco como este, é uma grande conquista para mim", declarou.

Na competição de -63 quilos, a medalha de ouro coube a Nouchi Aimi, do Japão, que teve o seu momento mais alto ainda durante as eliminatórias, com um excelente ippon.

O poderio japonês estendeu-se ainda à categoria de -81 quilos, na qual Sasaki Takeshi provou a sua boa forma. Depois de derrotar o russo Alan Khubetsov com um ippon nos quartos de final, Takeshi não teve grandes dificuldades para aplicar a mesma receita ao campeão olímpico Khasan Khalmurzaev.

Foi a primeira medalha de ouro para o judoca japonês no Circuito Mundial, numa categoria onde o português Anri Egutidze, de origem georgiana, conseguiu um quinto lugar.

Uma vitória categórica de Sasaki Takeshi no tapete de Hohhot, ao precisar de apenas 65 segundos para impor a derrota a Khasan Khalmurzaev.

O movimento do dia foi da autoria do alemão Anthony Zingg, que anulou a maior experiência do russo Musa Mogushkov para conseguir de forma espetacular a medalha de bronze na categoria de -73 quilos.