EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Temer concede para tentar pôr fim a protesto de camionistas

Temer concede para tentar pôr fim a protesto de camionistas
Direitos de autor REUTERS/Ueslei Marcelino
Direitos de autor REUTERS/Ueslei Marcelino
De  Rodrigo Barbosa com Lusa / AFP
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Presidente brasileiro anunciou novas medidas para tentar acabar com paralisação que dura há uma semana

PUBLICIDADE

O presidente brasileiro anunciou novas concessões para tentar pôr fim à greve dos camionistas que paralisa há uma semana o país.

Entre a penúria de combustível nas estações de serviço, fábricas paradas e falta de alimentos nas estantes de supermercados, o protesto já custou mais de 10 mil milhões de reais - cerca de 2300 milhões de euros - à economia do Brasil, segundo o jornal Folha de São Paulo.

Michel Temer decidiu relançar as negociações este domingo, concedendo nomeadamente uma redução no preço do gasóleo e a supressão de determinagens portagens para os camiões de transporte de mercadoria.

Temer: "A primeira reivindicação dos camionistas, o preço do diesel, terá uma redução de 46 centavos por litro. [...] Agora, acertámos que será por 60 dias, sem modificação no preço. E, a partir daí, daqui a dois meses, só haverá reajustes mensais."

A quatro meses de eleições presidenciais, a resposta do governo de Temer à crise é crucial, sobretudo quando o movimento dos camionistas é apoiado por uma boa parte da população.

Vicente Reis, camionista em greve: "Na grande verdade, hoje, 10 por cento da população que está aqui são camionistas. O restante são pessoas comuns, trabalhadores de outras categorias. Isto já não é um movimento dos camionistas, tornou-se num movimento dos brasileiros."

As novas medidas não são, no entanto, uma garantia do fim dos protestos: já na passada quinta-feira, Brasília tinha anunciado um acordo com vários dirigentes sindicais para uma trégua de 15 dias, mas a maioria dos grevistas tinham decidido manter a mobilização.

Editor de vídeo • Rodrigo Barbosa

Outras fontes • Folha de São Paulo

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Greve dos camionistas no Brasil continua apesar das ameaças do governo

Temer ordena às Forças Armadas que desbloqueiem estradas do Brasil

Hajj: peregrinação à cidade santa de Meca pelos muçulmanos