A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Primeiro-ministro da Jordânia demite-se

Primeiro-ministro da Jordânia demite-se
Direitos de autor
REUTERS/Muhammad Hamed/Arquivo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A polémica reforma fiscal e o aumento dos preços de bens de primeira necessidade custaram o cargo ao primeiro-ministro da Jordânia.

Face à crescente contestação popular, Hani Mulki apresentou a demissão esta segunda-feira e o rei Abdullah II designou o atual ministro da Educação e ex-economista do Banco Mundial Omar al-Razzaz para formar um novo executivo.

Em pleno mês do Ramadão, a Jordânia enfrentava o maior movimento de contestação desde 2011, depois da decisão do governo de alargar o imposto sobre os rendimentos aos salários mais modestos, com o objetivo de responder, nomeadamente, à pressão do Fundo Monetário Internacional para reduzir o défice do país.

Os protestos visavam também o aumento dos preços de bens de primeira necessidade, devido às subidas no IVA.