Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

"Estado da União": cimeira EUA/Coreia do Norte e migração

"Estado da União": cimeira EUA/Coreia do Norte e migração
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Há apenas alguns meses, trocavam insultos, mas os líderes dos EUA e da Coreia do Norte acabaram, mesmo, por se reunir numa cimeira histórica.

O mais preocupante na cimeira foi a reviravolta de Donald Trump face a Kim Jong Un, que tem um terrível histórico ao nível dos direitos humanos.

Neste programa que passa em revista a atualidade mundial e europeia da semana, destacamos, ainda, a polémica envolvendo o navio de resgate Aquarius, com mais de 600 refugiados a bordo.

O caso levou a um sério imbróglio diplomático entre França e Itália, que está a ampliar uma das principais falhas da política europeia: a gestão da migração.

Não podíamos deixar de mencionar o facto da Rússia acolher o Campeonato Mundial de Futebol a partir desta semana, como adeptos entusiasmados repartidos por Moscovo e por outras dez cidades.

Os países ocidentais optaram por não enviar representantes de alto nível para a cerimónia de abertura, mas não há boicotes políticos ou casos de exclusão por doping.

O presidente russo, Vladimir Putin, que luta contra as sanções ocidentais desde a anexação da Crimeia (território da Ucrânia), há quatro anos, saudou a FIFA por não abandonar o lema “desporto sem política”.

Destaques na agenda da semana que vem.

- 18 de junho: O vice-presidente da Comissão Europeia, Frans Timmermans, reúne-se com o primeiro-ministro da Polónia, em Varsóvia, para discutir o impasse sobre as polémicas reformas judiciais.

- 19 de junho: Os governos da Alemanha e da França reúnem-se, nos arredores de Berlim, para discutir a reforma da zona euro.

- 21 de junho: Início da Conferência de Cooperação União Europeia-Irão, em Bruxelas, sobre novas oportunidades económicas, apesar das sanções dos EUA.