Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Enviado da ONU para o Iémen espera retomar negociações de paz em julho

Enviado da ONU para o Iémen espera retomar negociações de paz em julho
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O enviado da ONU para o Iémen, Martin Griffiths espera retomar as negociações de paz em julho. Segundo fontes diplomáticas não identificadas, o enviado terá dito que todas as partes estão empenhadas em relançar o diálogo político.

A agência de notícias espanhola EFE, diz que Griffiths já apresentou o novo plano.

Esta segunda-feira, aviões da coligação árabe bombardearam o aeroporto de Hodeida, o principal porto do Iémen, no mar Vermelho.

Este aeroporto é a porta de entrada de quase toda a ajuda ao país. A zona é controlada pelos huthis, que abastecem por aqui o seu bastião na capital Saná.

O Alto-Comissário para os Direitos Humanos das Nações Unidas, Zeid Ra'ad al-Hussein, diz estar muito preocupado com os bombardeamentos liderados pela Arábia Saudita, que colocam em risco a entrega de ajuda externa: "Sublinho a minha preocupação com os ataques contínuos da coligação liderada pelos sauditas e Emirados Árabes em Hodeida, que poderão resultar em mais baixas civis e ter um impacto desastroso na ajuda humanitária que chega pelo porto e que salva a vida a milhões de pessoas".

Os sauditas entraram na guerra em 2015, com o pretexto do apoio do rival Irão aos huthis, que ocupam vastas regiões do país.

O conflito fez já cerca de 10 mil mortos em mais de três anos.

As Nações Unidas dizem que 22 milhões de iemenitas dependem de ajuda humanitária e mais de 8 milhões estão perto de morrer à fome.

Para a maioria, o porto de Hodeida é a única salvação.