Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Grandes sindicatos da Fiat repudiam greve contra CR7

Grandes sindicatos da Fiat repudiam greve contra CR7
Direitos de autor
REUTERS/Jorge Silva/File Photo
Tamanho do texto Aa Aa

Os principais sindicatos do grupo Fiat-Chrysler rejeitam a greve convocada pela União Sindical de Base em protesto contra a contratação de Cristiano Ronaldo pela Juventus.

A USB representa um pequeno número dos trabalhadores da fábrica de Melfi, no sul de Itália, e considera uma afronta a contratação do português pelo campeão italiano.

A transferência do Real Madrid custou mais de 100 milhões de euros aos cofres do clube de Turim, propriedade da família Agnelli, que detém 30% do grupo automóvel.

A USB, anunciou que os trabalhadores estarão de greve de 15 a 17 de julho por considerarem inadmissível a Juventus alocar um total 350 milhões de euros apenas para manter Cristiano Ronaldo nas fileiras, até 2022, depois de anos de sacrifícios no grupo Fiat-Chrysler.