Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Trump e o comércio pós-Brexit

Trump e o comércio pós-Brexit
Direitos de autor
Jack Taylor/Pool via REUTERS
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

"Queremos realizar negócios com o Reino Unido e o Reino Unido quer realizar negócios connosco": quem o disse foi o presidente norte-americano durante a conferência de imprensa com a primeira-ministra britânica, Theresa May.

Donald Trump acrescentou que os Estados Unidos são, de longe, o maior parceiro comercial do Reino Unido.

Mas os números contradizem o ocupante da Casa Branca: segundo os dados do Gabinete de Estatística Nacional do Reino Unido o volume total de negócios com os Estados Unidos é da ordem dos 190 mil milhões de euros, enquanto com o bloco comunitário é de 625 mil milhões de euros, confirmando que a União Europeia é, sim, o maior parceiro comercial de Londres.

Razão mais do que suficiente para que o governo de May esteja empenhado em manter uma boa relação comercial pós-Brexit, cujos objetivos se esforçou por deliniar no documento apelidado de "Livro Branco" publicado esta quinta-feira.

Um documento severamente criticado por Trump na polémica entrevista concedida ao tablóide "The Sun". Na intervenção, Trump afirmou que "se eles fizerem um acordo como esse", os Estados Unidos "estariam a lidar com a União Europeia em vez do Reino Unido, o que provavelmente mataria o acordo".