Paquistão: 132 pessoas morreram em dois ataques a comícios eleitorais

Paquistão: 132 pessoas morreram em dois ataques a comícios eleitorais
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os ataques aconteceram horas antes do regresso ao país e da detenção do antigo primeiro-ministro, Nawaz Sharif, e da filha.

PUBLICIDADE

No Paquistão, pelo menos 132 pessoas morreram esta sexta-feira em mais dois ataques que atingiram ações de campanha para as legislativas de 25 de julho.

Na província do Baluchistão, no sudoeste do país, um bombista suicida matou 128 pessoas num comício político, incluindo um candidato a uma legislatura provincial. O atentado já foi reivindicado pelo estado islâmico. Outras quatro pessoas morreram também num comício, na província de Khyber, no norte do Paquistão.

Os ataques aconteceram horas antes do regresso ao país e da detenção do antigo primeiro-ministro, Nawaz Sharif, e da filha, Maryam Sharif, condenados por corrupção a 10 e 7 anos de prisão.

Antes de aterrar no Paquistão, e em declarações à agência Reuteurs, o antigo primeiro-ministro afirmou que “a detenção é um preço muito pequeno a pagar pela grande missão de salvar a santidade do voto".

Em Lahore, milhares de apoiantes protestaram contra a prisão do líder.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Assembleias de voto abriram no Paquistão

Regresso forçado de milhares de afegãos satura fronteira com o Paquistão

Mais de 165 mil afegãos obrigados a abandonar o Paquistão