A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Airbnb viola normas europeias de defesa do consumidor

Airbnb viola normas europeias de defesa do consumidor
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A Comissão Europeia acusou a Airbnb de violar as normas de defesa do consumidor da União Europeia e pede-lhe que seja mais transparente na apresentação dos preços, sob pena de sofrer medidas coercivas.

Os preços não são transparentes na pesquisa inicial, porque outras taxas são acrescentadas

Vera Jourová Comissária europeia para aJustiça e Defesa dos Consumidores

O executivo comunitário considerou, na segunda-feira, que plataforma digital para aluguer de casa para turismo também não faz uma distinção clara entre anfitriões particulares e profissionais.

"O Airbnb não cumpre plenamente a legislação europeia. Os preços não são transparentes na pesquisa inicial, uma vez que outras taxas são acrescentadas numa fase mais avançada. É difícil para o consumidor saber se está a alugar a um privado ou a um profissional, e isto é importante já que se aplicam diferentes regras de proteção dos consumidores. O Airbnb não devia ir a tribunal num país diferente daquele do consumidor e não deve privar os consumidores dos seus direitos legais básicos", defendeu Vera Jourová, comissária europeia da Justiça, Consumidores e Igualdade de Género.

Estas e outras susgestões ligadas à alteração de condições e resolução de litígios devem ser acatadas pela Airbnb até ao final de agosto.

Nos últimos tempos, esta e outras plataformas similares têm sido critciadas por levaram ao aumento das rendas de casa para a população local, afastando-a do centro das grandes cidades turísticas.

Este mês, organizações de proprietários e mediadores imobiliários portugueses estimaram a subida das rendas, em Lisboa, em 40%, por causa deste fenómeno.