Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Jeremy Hunt apela a sanções da União Europeia contra a Rússia

Jeremy Hunt apela a sanções da União Europeia contra a Rússia
Tamanho do texto Aa Aa

O ministro dos Negócios Estrangeiros britânico Jeremy Hunt partiu hoje para Washington, DC, onde fará esta tarde um discurso de apelo à União Europeia para que siga o exemplo dos Estados Unidos impondo mais sanções económicas contra a Rússia, na sequência da morte por envenenamento com o agente nervoso Novichok de Dawn Sturgess, ocorrida perto da cidade de Salisbury.

Depois do incidente, os Estados Unidos anunciaram a imposição com base na lei americana sobre o uso de armas químicas, das novas sanções, que incidem sobre produtos tecnológicos e de comunicação e deverão ter efeito nas próximas horas.

Depois do primeiro ataque com o agente nervoso em março, a chanceler alemã Angela Merkel, o presidente francês Emmanuel Macron, a primeira-ministra britânica Theresa May e o presidente norte-americano Donald Trump fizeram uma rara declaração conjunta de condenação do incidente. Vários diplomatas russos foram expulsos por vários países da União Europeia, que também condenou o ataque.

Jeremy Hunt visa angariar o suporte da União Europeia, cuja postura depois do segundo ataque tem sido mais contida, e alertar contra indícios da falta de unidade no tratamento da Rússia, tais como a postura do novo primeiro-ministro italiano Giuseppe Conte ou o convite da ministra dos negócios estrageiros austríaca Karin Kneissl a Vladimir Putin para o seu casamento, onde foram filmados a dançar.

O ministro dos Negócios Estrangeiros britânico irá advertir contra os perigos da divisão na União Europeia face às trangressões do país e aludir à situação na Síria e na Crimeia, bem como aos recentes ataques cibernéticos da Rússia.

Jeremy Hunt defenderá também que a União Europeia arrisca cometer um grave erro geo-estratégico se não for alcançado um acordo de brexit até Março de 2019.