Última hora

Jeremy Hunt apela a sanções da União Europeia contra a Rússia

Jeremy Hunt apela a sanções da União Europeia contra a Rússia
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O ministro dos Negócios Estrangeiros britânico Jeremy Hunt partiu hoje para Washington, DC, onde fará esta tarde um discurso de apelo à União Europeia para que siga o exemplo dos Estados Unidos impondo mais sanções económicas contra a Rússia, na sequência da morte por envenenamento com o agente nervoso Novichok de Dawn Sturgess, ocorrida perto da cidade de Salisbury.

Depois do incidente, os Estados Unidos anunciaram a imposição com base na lei americana sobre o uso de armas químicas, das novas sanções, que incidem sobre produtos tecnológicos e de comunicação e deverão ter efeito nas próximas horas.

Depois do primeiro ataque com o agente nervoso em março, a chanceler alemã Angela Merkel, o presidente francês Emmanuel Macron, a primeira-ministra britânica Theresa May e o presidente norte-americano Donald Trump fizeram uma rara declaração conjunta de condenação do incidente. Vários diplomatas russos foram expulsos por vários países da União Europeia, que também condenou o ataque.

Jeremy Hunt visa angariar o suporte da União Europeia, cuja postura depois do segundo ataque tem sido mais contida, e alertar contra indícios da falta de unidade no tratamento da Rússia, tais como a postura do novo primeiro-ministro italiano Giuseppe Conte ou o convite da ministra dos negócios estrageiros austríaca Karin Kneissl a Vladimir Putin para o seu casamento, onde foram filmados a dançar.

O ministro dos Negócios Estrangeiros britânico irá advertir contra os perigos da divisão na União Europeia face às trangressões do país e aludir à situação na Síria e na Crimeia, bem como aos recentes ataques cibernéticos da Rússia.

Jeremy Hunt defenderá também que a União Europeia arrisca cometer um grave erro geo-estratégico se não for alcançado um acordo de brexit até Março de 2019.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.