Última hora

Última hora

Aumento dos lobos na Europa dá dores de cabeça à UE

Em leitura:

Aumento dos lobos na Europa dá dores de cabeça à UE

Aumento dos lobos na Europa dá dores de cabeça à UE
Tamanho do texto Aa Aa

O aumento dos números de lobos por toda a Europa está a dar dores de cabeça à União Europeia.

"É perfeitamente possível viver em conjunto com estes carnívoros mas para isso é preciso boa vontade"

Frederik Thoelen Voluntário, WelkomWolf, Bélgica

O estatuto de espécie protegida levou à recuperação da espécie que em tempos esteve à beira da extinção.

Mas se tal constitui motivo de orgulho para os conservacionistas, para os agricultores trata-se de uma dor de cabeça, pois estes vorazes predadores são o principal inimigo dos rebanhos.

"Muitos agricultores sentem-se frustrados e ameaçados devido à ameaça constante sobre os rebanhos. Queremos começar com regulação ativa, um plano para lidar com os lobos, incluindo na Alemanha. Isto significa, em certos casos, matar e reduzir o número de lobos", diz Udo Hemmerling, vice secretário-geral da Associação dos Agricultores Alemães.

A Alemanha é um dos países em que o número de lobos aumentou significativamente.

Informações dão conta de que no ano passado estes predadores também regressaram às florestas da Bélgica.

No entanto, os conservacionistas afirmam que é possível a coexistência pacífica.

"É sempre triste ver pessoas que pensam que os lobos são perigosos, na realidade não são. No nosso país, onde existem lobos, as pessoas estão a tentar diferentes tipos de cercas para proteger os rebanhos. Se as pessoas usarem as cercas corretas e adotarem formas de afastar os lobos, é perfeitamente possível viver em conjunto com estes carnívoros. Mas para isso é preciso boa vontade se queremos mesmo viver em harmonia com estes animais", Frederik Thoelen, voluntário da associação belga WelkomWolf

Por entre todos os argumentos a favor e contra, o comité ambiental do Parlamento Europeu ouviu esta quarta-feira a opinião de um perito norueguês ácerca dos desafios colocados por estes predadores.

O objetivo é alcançar um compromisso que permite uma coexistência pacífica entre os lobos e os agricultores.