Última hora

Última hora

É dia de eleições legislativas na Suécia

Em leitura:

É dia de eleições legislativas na Suécia

É dia de eleições legislativas na Suécia
Tamanho do texto Aa Aa

Cartaz a cartaz, a campanha já está feita. Este domingo, a Suécia abre as mesas de voto para as eleições legislativas. É um dia decisivo depois de um dos períodos eleitorais mais acesos que o país viveu.

A Extrema-direita sueca sonha com vitória nas legislativas

Pode ser o fim da liderança do Partido Social-Democrático na arena política da Suécia. Os Democratas suecos, cujas origens remontam ao movimento neonazi sueco - surgem como principais concorrentes do partido de centro-esquerda e podem mesmo vir a ser a força mais representada no parlamento.

Com uma mensagem política anti-imigração e anti-União Europeia, o líder do partido dos Democratas suecos, de extrema-direita, Jimmie Akesson, deixou claro, até ao último dia, qual a posição em relação àqueles que procuram uma vida no país.

Desde "precisamos de políticas de imigração rígidas e responsáveis", a "os imigrantes quando cá chegam deveriam ter apenas cuidados básicos de saúde e não os melhores cuidados de saúde", Jimmie Akesson não foi discreto durante a campanha, quanto à sua posição anti-imigração.

A campanha eleitoral acabou por se centrar nas políticas de imigração, desde o primeiro ao último debate.

No lado dos menos populares e com uma opinião bem distinta, está um dos candidatos: Mohamed Nuur, social-democrata e imigrante.

Para Mohamed Nuur, a Suécia que Jimmie Akesson quer "não é o futuro", é "um voltar ao passado.". "Quando ele diz que os imigrantes não são bem-vindos à Suécia, quando eu sei que a Suécia recebeu muito de imigrantes, quando eu sei que a Suécia é respeitada em todo o mundo por bem receber....Na verdade, os imigrantes construíram este país ", admitiu.

De acordo com as sondagens apresentadas pelo site sueco Val.digital, os nacionalistas agregam 20% das intenções de voto, perto dos sociais-democratas, em primeiro lugar com 24,3%, e acima do Partido Moderado (centro-direita), que recebe 19,5% dos apoios.

Alguns dos estudos tidos em conta no cálculo do Val.digital dão aos Democratas Suecos o primeiro lugar e com percentagens superiores a 25%.

A incerteza do que poderá acontecer este domingo paira no ar, até porque os partidos tradicionais de esquerda já se recusaram a formar governo com os democratas suecos, caso seja necessário.