Última hora

Última hora

"És um ladrão e deves-me um pedido de desculpas"

Em leitura:

"És um ladrão e deves-me um pedido de desculpas"

"És um ladrão e deves-me um pedido de desculpas"
Tamanho do texto Aa Aa

A final do Open dos EUA ficou marcada pela discussão entre Serena Williams e o árbitro do jogo, o português Carlos Ramos.

"Roubaste-me um ponto, és um ladrão!"

Serena Williams Tenista norte-americana

Durante o duelo, o qual Serena acabou por perder frente à japonesa de 20 anos Naomi Osaka por 6-2 e 6-4, a atleta norte-americana recebeu três violações de código.

As violações surgem depois de Serena ter, alegadamente, recebido indicações do treinador que estava na bancada. Foi nesse momento que a discussão entre a atleta norte-americana e o árbitro português começou.

"Eu não faço batota, prefiro perder", disse a atleta ao árbitro, depois deste lhe dar o primeiro aviso. A discussão continuou. "Não recebi indicações do meu treinador! Não recebi indicações do meu treinador!", disse Serena. "Você deve-me um pedido de desculpas! Eu nunca fiz batota na minha vida. Tenho uma filha e imponho-me pelos direitos! Deve-me um pedido de desculpas!", disse.

Serena virou costas ao árbitro e continuou: "Deve-me um pedido de desculpas. Não fale comigo! E roubou-me um ponto, é um ladrão! Se eu fosse um homem não me fazia isto", disse a atleta norte-americana.

Depois do jogo, Serena Williams recusou-se a apertar a mão ao árbitro português mas congratulou a atleta japonesa pela vitória no Grand Slam.

Mais tarde, em conferência de imprensa, Serena Williams explicou o sucedido, disse que estava a "lutar pelos direitos das mulheres" por já ter assistido "a situações parecidas com jogadores masculinos", que acabaram por receber penalizações diferentes "por serem homens".