Última hora

Última hora

Centenas de voos da Ryanair cancelados na Alemanha

Em leitura:

Centenas de voos da Ryanair cancelados na Alemanha

Centenas de voos da Ryanair cancelados na Alemanha
Tamanho do texto Aa Aa

Os pilotos e assistentes de bordo da Ryanair, na Alemanha, estão a cumprir uma greve de 24 horas, que obrigou a companhia irlandesa a cancelar entre 150 e 400 voos.

Os grevistas exigem melhores condições de trabalho e aumentos salariais.

A companhia, através do seu diretor de Marketing, Kenny Jacobs, fala de greves selvagens com o objetivo de desestabilizar: "Nós não queremos greves, certamente que não queremos greves convocadas assim. Isto são greves selvagens destinadas a causar o máximo de problemas aos nossos clientes e o máximo prejuízo à Rayanair e isto não é bom para ninguém".

Os dirigentes sindicais, por seu turno, justificam a paralisação com a luta pelos direitos dos trabalhadores. Christine Behle, do sindicato Verdi, disse em conferência de imprensa: "As pessoas estão verdadeiramente furiosas por estarem a ser tratadas desta maneira e estão prontas para fazer algo contra isso. É preciso dizer que, contrariamente a outros setores, quando entramos em greve assumimos muitos riscos. Qualquer pessoa que participa numa greve arrisca a perda do emprego e da vida que tem aqui na Alemanha. Todos têm algo a perder e estão determinados a lutar pelos seus direitos. Acredito que isto quer dizer que a luta vale a pena".

As negociações entre a companhia e os sindicatos prosseguem. Na primeira greve convocada no dia 10 de agosto pelos pilotos da Alemanha, Holanda, Bélgica e Suécia, a Ryanair viu-se obrigada a cancelar 400 voos, o que afetou 55 mil passageiros.