Última hora
This content is not available in your region

Centenas de voos da Ryanair cancelados na Alemanha

Centenas de voos da Ryanair cancelados na Alemanha
Tamanho do texto Aa Aa

Os pilotos e assistentes de bordo da Ryanair, na Alemanha, estão a cumprir uma greve de 24 horas, que obrigou a companhia irlandesa a cancelar entre 150 e 400 voos.

Os grevistas exigem melhores condições de trabalho e aumentos salariais.

A companhia, através do seu diretor de Marketing, Kenny Jacobs, fala de greves selvagens com o objetivo de desestabilizar: "Nós não queremos greves, certamente que não queremos greves convocadas assim. Isto são greves selvagens destinadas a causar o máximo de problemas aos nossos clientes e o máximo prejuízo à Rayanair e isto não é bom para ninguém".

Os dirigentes sindicais, por seu turno, justificam a paralisação com a luta pelos direitos dos trabalhadores. Christine Behle, do sindicato Verdi, disse em conferência de imprensa: "As pessoas estão verdadeiramente furiosas por estarem a ser tratadas desta maneira e estão prontas para fazer algo contra isso. É preciso dizer que, contrariamente a outros setores, quando entramos em greve assumimos muitos riscos. Qualquer pessoa que participa numa greve arrisca a perda do emprego e da vida que tem aqui na Alemanha. Todos têm algo a perder e estão determinados a lutar pelos seus direitos. Acredito que isto quer dizer que a luta vale a pena".

As negociações entre a companhia e os sindicatos prosseguem. Na primeira greve convocada no dia 10 de agosto pelos pilotos da Alemanha, Holanda, Bélgica e Suécia, a Ryanair viu-se obrigada a cancelar 400 voos, o que afetou 55 mil passageiros.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.