Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Discurso de Juncker "sem novidades" e "desfasado"

Discurso de Juncker "sem novidades" e "desfasado"
Tamanho do texto Aa Aa

Nigel Farage, conhecido eurodeputado eurocético britânico, considera que Jean-Claude Juncker está desfasado da realidade, ao propor maior integração política para fazer face ao populismo que está a aumentar nalguns Estados-membros da União Europeia.

O que esteve em causa foi o poder e nenhum reconhecimento de que há um crescente descontentamento

Nigel Farage Eurodeputado, eurocético, Reino Unido

Por isso, mesmo antes do discurso do presidente da Comissão Europeia sobre o Estado da União, quarta-feira, no Parlamento Europeu, em Estrasburgo, Farage deu a Juncker umas meias com a bandeira britânica.

"O que esteve em causa foi o poder e nenhum reconhecimento de que há um crescente descontentamento. Juncker pediu para sermos patriotas a nível europeu mas para não o sermos ao nível do Estado-nação", disse Farage, em entrevista à euronews.

O chefe do executivo comunitário propôs medidas para gerir a migração e promover a segurança interna, nomeadamente com o reforço da agência europeia de guarda costeira e de fronteiras.

Mas para Ryszard Legutko, eurodeputado conservador polaco, essa parte do discurso "era muito previsível, não há nada de novo".

"Algumas das propostas são apresentadas tarde demais, por exemplo a do fortalecimento das fronteiras externas. É, obviamente, uma boa ideia, mas um pouco difícil de executar", acrescentou à euronnews.

Juncker abordou, também, a necessidade de reforçar a economia, sobretudo com comércio internacional, algo que não entusiasmou Gabriele Zimmer, eurodeputada alemã e líder do grupo que agrega comunistas e esquerda radical.

"Ele só disse que "temos de ser mais fortes no mundo e de falar a uma só voz para sermos mais respeitados" e assim por diante. Mas esqueceu-se que o respeito mais importante a obter é o dos nossos próprios cidadãos", afirmou Zimmer.

Para o último ano de mandato, a Comissão Europeia liderada por Juncker estabeleceu 18 ações prioritárias.