Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Ativista do grupo Pussy Riot terá sido muito provávelmente envenenado

Ativista do grupo Pussy Riot terá sido muito provávelmente envenenado
Tamanho do texto Aa Aa

A equipa médica do hospital Charité em Berlim divulgou hoje que o ativista Pyotr Verzilov terá sido muito provávelmente envenenado.

Até ao momento a substância reponsável pelo envenenamento não foi identificada, mas os médicos afirmaram que esta pertence a uma família de substâncias que não poderia ter sido ingerida pela vítima a não ser através do envenenamento, fosse através de alimentos, de medicação ou de consumo de drogas.

A equipa acrescentou que o membro do grupo ativista Pussy Riot está fora de perigo, mas continua nos cuidados intensivos. Tendo recuperado os sentidos e a capacidade motora, os médicos mostraram-se cautelosos mas optimistas quanto à melhoria do estado de saúde da vítima.

A equipa médica estimou também que a substância se encontra no organismo de Pyotr Verzilov há cerca de uma semana.

O ativista adoeceu na terça-feira em Moscovo depois de uma audiência em tribunal, tendo sofrido convulsões e perdido rápidamente a visão e a audição. Depois de receber cuidados nos serviços de urgência em Moscovo, foi transferido de avião no sábado para Berlim.

Pyotr Verzilov tem 30 anos, é russo-canadiano e casado com Nadezhda Tolokonnikova, também ativista do Pussy Riot. Pyotr Verzilov é também o editor de uma agência de notícias focada em violações de direitos humanos por parte do sistema penal russo.

É mais conhecido por ser um dos membros que invadiram o relvado durante a final do Campeonato do Mundo de Futebol em julho, tendo passado na ocasião duas semanas na prisão.