Última hora

Caso Alexandre Benalla: o ex-funcionário do Palácio do Eliseu será ouvido hoje no Senado

Caso Alexandre Benalla: o ex-funcionário do Palácio do Eliseu será ouvido hoje no Senado
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O ex-funcionário do Palácio do Eliseu, Alexandre Benalla, acusado de espancar manifestantes durante os protestos do dia 1° de maio em Paris, será ouvido hoje no Senado.

Alexandre Benalla admitiu já ter cometido um grande erro. No entanto, afirma que não tenciona responder a questões relativas às acusações criminais na audiência de hoje . Na semana passada Benalla mostrou-se paternalista para com o senado, referindo-se ao presidente da comissão como um "pequeno marquês" e queixando-se da falta de legitimidade do Senado para a condução da investigação. Irá assim apresentar-se com uma postura arrogante e não se esperam respostas específicas sobre o caso.

Emmanuel Macron considera que o incidente é uma tempestade num copo de água. Mas o facto é que nas últimas semanas o seu executivo começa a registar baixas, com a demissão do ministro do Ambiente Nicolas Hulot e agora com o anúncio da saída do governo no próximo ano por parte do ministro do Interior Gérard Collomb, um forte aliado político de Macron.

O caso Benalla é um problema sério para Macron. Desde o verão, tendo vindo a afetar a sua popularidade e as duas demissões não transmitem uma mensagem positiva sobre o seu executivo.

Por outro lado, a situação económica na França está a deteriorar, registando o nível de crescimento económico mais baixo da União Europeia e a taxa de desemprego mantém-se, ao contrário de todos os restantes membros da União Europeia.

Face à situação do país, Emmanuel Macron não está a cumprir as suas promessas eleitorais. Por isso, a audiência de hoje no Senado é apenas uma das muitas más notícias das últimas semanas.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.