Última hora
This content is not available in your region

Comunidade internacional exige explicações de Riade sobre jornalista desaparecido

Comunidade internacional exige explicações de Riade sobre jornalista desaparecido
Tamanho do texto Aa Aa

A Arábia Saudita deu um passo na cooperação com as autoridades turcas e deixou finalmente a polícia turca entrar no consulado saudita em Istambul, onde desapareceu o jornalista Jamal Khashoggi. Este saudita, crítico do regime de Riade, terá sido assassinado no interior do consulado, segundo uma informação não confirmada de um jornal turco. A situação está a preocupar também os governos do Reino Unido, França e Alemanha, que pedem explicações, numa nota conjunta.

"É a vez da Arábia Saudita mostrar ao mundo que estas histórias que temos lido na imprensa e que tanta preocupação têm causado, tantas implicações para a liberdade de expressão e de imprensa e para o rumo que a Arábia Saudita está a tomar como país estão erradas. E isso só pode mostrar cooperando", disse o chefe da diplomacia britânica, Jeremy Hunt.

O presidente turco Recep Tayyip Erdoğan e o rei Salman falaram ao telefone sobre o assunto, que ameaça as até agora boas relações entre os dois países. Tudo aponta que a solução está no consulado onde Kashoggi entrou no dia 2, mas do qual ninguém o viu sair.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.