Última hora

Última hora

Canadá abre portas à canábis para fins recreativos

Em leitura:

Canadá abre portas à canábis para fins recreativos

Canadá abre portas à canábis para fins recreativos
Tamanho do texto Aa Aa

O Canadá tornou-se no segundo país do mundo a legalizar a marijuana para fins recreativos.

As vendas começaram esta quarta-feira em Terra Nova, uma região do lado do atlântico.

Em St. John's, uma cidade em Newfoundland (Terra Nova), centenas de clientes estiveram em filas durante horas, numa das principais ruas da capital da província, à espera que o relógio batesse a meia-noite para poderem ser os primeiros a comprar o produto.

Reuters
St John's, Terra Nova, CanadáReuters

"Todos os anos de ativismo valeram a pena. A canábis é legal no Canadá. E todos devem vir ao Canadá e desfrutar de nossa canábis", disse um dos ansiosos que passou horas na fila.

As lojas desta região estão entre as cerca de 111 esperadas para abrir em todo o país, onde são esperadas cerca de 37 milhões de pessoas só no dia de abertura, esta quarta-feira.

O país tem a marijuana medicinal legal desde 2001 e o governo do primeiro-ministro de Justin Trudeau passou dois anos a trabalhar para expandi-la, incluíndo a marijuana recreativa.

O objetivo é refletir a mudança de opinião da sociedade sobre a canábis e levar os operadores do mercado negro a um sistema regulado. O Uruguai foi o primeiro foi o primeiro país a legalizar a marijuana para fins recreativos.

Os canadianos também podem encomendar produtos de marijuana através de sites administrados por províncias ou revendedores privados.

Alberta e Quebec definiram a idade mínima para a compra aos 18 anos, enquanto outros estabeleceram os 19 anos de idade como idade mínima.

A cidade de Ontário, que inclui Toronto, será uma exceção. A província mais populosa está a trabalhar em diferentes regulamentos e não se esperam lojas até ao próximo ano.

A lei ainda agora chegou ao país e já foram abertos cursos para aprender a plantar este negócio: um negócio que se estima vir a gerar receitas entre os 750 milhões a mil milhões de euros por ano.