Carles Puigdemont: "neste momento somos tratados como criminosos"

Carles Puigdemont: "neste momento somos tratados como criminosos"
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O antigo presidente da Catalunha é o convidado de UNCUT, na euronews.

Nesta edição de UNCUT, o político franco-alemão Daniel Cohn-Bendit, um dos rostos do Maio de 68, entrevista Carles Puigdemont.

Um ano depois do referendo sobre a independência da Catalunha, o antigo presidente da região autónoma vive na Bélgica continua a defender que os catalães têm o direito de escolher se querem ou não a autonomia.

“Não é uma decisão que deva ser tomada por dois governos ou dois parlamentos. São os cidadãos da Catalunha que devem poder dizer sim ou não e chegar a acordo para gerir o resultado do voto”, disse Puigdemont, em conversa com o antigo deputado do Parlamento Europeu.

O antigo presidente da Catalunha sublinha a importância de uma consulta popular para desbloquear a atual situação de impasse.

“A única forma de saber realmente se há uma maioria ou não a favor da independência é permitir uma consulta”.

Puigdemont pede diálogo e igualdade ao governo espanhol.

“Precisamos de conversar para que haja um reconhecimento mútuo. Porque, neste momento, somos tratados como criminosos. Esta situação tem de evoluir porque não podemos sentar à mesa alguém que representa a autoridade e alguém que representa criminosos”.

Como é hábito, nas entrevistas de UNCUT não há cortes durante a montagem. O espetador segue o na íntegra o diálogo entre Daniel Cohn-Bendit e o seu entrevistado.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Polícia revê para nove número de mortos no incêndio em Valência

Incêndio em prédio de 14 andares em Valência faz pelo menos quatro mortos

Incêndio de grandes dimensões consome prédio residencial de 14 andares em Valência