EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Arábia Saudita admite: morte de Khashoggi "foi um erro"

Arábia Saudita admite: morte de Khashoggi "foi um erro"
Direitos de autor 
De  Ana Serapicos
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Declarações foram feitas pelo ministro dos Negócios Estrangeiros do país a um canal de televisão norte-americano

PUBLICIDADE

O ministro dos Negócios Estrangeiros admitiu, numa entrevista ao canal de televisão norte-americano FOXNEWS, que a morte de Jamal Khashoggi "foi um erro".

"Quem fez isso fê-lo fora da própria autoridade", disse Adel al-Jubeir. "Obviamente que houve um tremendo erro cometido, e o que agravou o erro foi a tentativa de o encobrir.", admitiu o representante do governo saudita."Isso é inaceitável em qualquer governo. Essas coisas infelizmente acontecem. Temos sido muito claros que não deixaremos isto por resolver.", concluiu Adel al-Jubeir.

Entretanto, a televisão turca revelou mais imagens do jornalista, no momento em que entrou dentro do edifício do consulado saudita em Istambul, a 2 de Outubro.

Sabe-se agora que Khashoggi morreu lá dentro. Jamal Khashoggi era um conhecido crítico do regime da Arábia Saudita, por tal razão se especula que tenha sido o governo saudita a tirar a vida ao jornalista.

Erdogan diz que o governo turco está a fazer investigações e que só irá revelar tudo o que sabe quando a investigação for concluída. Até lá, a morte de Jamal Khashoggi continua por explicar.

reuters

Jamal khashoggi estava exilado nos EUA. Donald trump não tem, portanto, deixado o tema descansar.

Nos últimos dias fez pressão ao governo saudita para explicar o que aconteceu mas em causa estão milhões e milhões de dólares em negócios entre Washington e Riade. Muitos têm criticado a postura "à defesa" do presidente norte-americano.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Erdogan promete revelações sobre a morte do jornalista Jamal khashoggi

Calor já matou quase 600 muçulmanos em peregrinação a Meca

Pelo menos 19 mortos na peregrinação a Meca devido ao calor extremo