EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Um referendo à presidência de Trump

Um referendo à presidência de Trump
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As eleições intercalares nos Estados Unidos estão a ser vistas como um referendo à presidência de Donald Trump. Republicanos e democratas lutam pelo controlo das duas Câmaras do Congresso.

PUBLICIDADE

As eleições intercalares nos Estados Unidos estão a ser vistas como um referendo à presidência de Donald Trump. Republicanos e democratas lutam pelo controlo das duas Câmaras do Congresso.

Trump enfrenta a antipatia dos jovens, das minorias e dos eleitores brancos com formação universitária, sobretudo mulheres."Penso que teria votado mesmo que Trump não fosse o presidente, mas acho que o atual clima político estimula mais pessoas a virem votar", afirma Jerry Lin, eleitora da Virgínia.

"Se as pessoas não forem votar, depois serão vítimas da sua falta de ação. Portanto, se as pessoas não forem votar e não mudarem as coisas, estão destinadas a viver com o terror para os próximos dois anos", disse Nancy Sverdlik, eleitora de Nova Iorque.

Mas Trump tem bastantes apoiantes das igrejas evangélicas, das áreas rurais e entre os eleitores brancos sem formação superior, incluindo mulheres.

"O cerne da mensagem do presidente tem sido avisar o povo americano que as coisas podem piorar se ele perder uma das suas maiorias no Congresso, em vez de falar do que alguns representantes republicanos querem: cortes nos impostos e a força da economia", frisou o correspondente da NBC, Hans Nicholls.

Sejam quais forem os resultados, os analistas dizem que estas eleições intercalares vão ser históricas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Trump diz que as intercalares foram um "sucesso tremendo"

Biden apela à libertação de jornalistas no jantar dos correspondentes de imprensa

Mike Pence: "A maioria dos norte-americanos acredita no nosso papel de líderes do mundo livre"