Última hora

Última hora

Duas aterragens de emergência em menos de 24 horas

Duas aterragens de emergência em menos de 24 horas
Tamanho do texto Aa Aa

Duas aterragens de emergência em menos de 24 horas, em Portugal. A mais recente, esta segunda-feira, de um Boeing 737 da Transavia que transportava 149 pessoas do Funchal para Amesterdão. A aeronave sofreu uma "despressurização" e foi obrigada a uma aterragem de emergência, escoltada pela Força Aérea Portuguesa, no aeroporto de Faro. Para além do susto nada mais a relatar.

A Força Aérea tinha sido já obrigada a intervir, no domingo, quando os pilotos de um Embraer 190 da companhia aérea "Air Astana" tinham passado por um desafio diferente. O avião tinha descolado de Alverca, das Oficinas Gerais de Material Aeronáutico, onde estava a ser alvo de manutenção, sobrevoava a capital portuguesa quando o piloto se viu obrigado a pedir ajuda à torre de controlo do Aeroporto de Lisboa, a ansiedade era visível:

"Senhores, sim. (...) não temos controlo sobre o avião. Precisamos de assistência para aterrar num aeroporto com boas condições climáticas. (...) Estamos com problemas nos instrumentos de controlo do voo.

A companhia aérea do Cazaquistão diz agora que dados preliminares apontam para problemas nos eixos de controlo, a "aeronave apresentava desvios de estabilidade de um dos eixos", esclarece, e terá sido sido isso que originou a "perda de controlo" de que falava o piloto nas comunicações. Foi em segurança, à terceira tentativa, duas horas depois de sobrevoar Lisboa que aterrou no aeroporto de Beja, para onde desviou a sua rota, depois de ponderar uma uma amaragem no rio Tejo, o que não foi possível devido às más condições climáticas. Dos seis tripulantes dois foram hospitalizados devido ao stress mas já receberam alta.