Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

China: "Sol artificial" atinge 100 milhões de graus Celsius

China: "Sol artificial" atinge 100 milhões de graus Celsius
Tamanho do texto Aa Aa

O "sol artificial" desenvolvido pela China, denominado Tokamak Experimental de Supercondução Avançada (EAST) atingiu um patamar importante.

Alcançou os 100 milhões graus Celsius e funcionou a essa temperatura durante quase dez segundos.

Com este reator de fusão atómica, os cientistas chineses deram um passo em frente rumo à criação de alternativas aos combustíveis fósseis na Terra.

A fusão nuclear é o processo de geração de calor do Sol e das estrelas. É por isso que este reator é apelidado de "sol artificial". A fusão alcança uma temperatura três vezes superior à do núcleo do Sol e é considerada como a forma mais eficiente de gerar energia.

A fusão nuclear no reator (EAST) funciona a partir do aquecimento de uma mistura de dois gases de hidrogénio a 100 milhões graus Celsius - o que gera um plasma que fornece energia.

Os cientistas encaram este projeto como sendo o futuro das energias renováveis.