Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Funeral de Jamal Khashoggi sem corpo presente

Funeral de Jamal Khashoggi sem corpo presente
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O caso ainda por desvendar não impediu que Jamal Khashoggi não tivesse direito a um último adeus.

"Esta cerimónia simbólica esmaga os rostos dos que cometeram o crime."

Yasin Aktay Conselheiro da Presidência turca

Sem corpo presente, centenas de pessoas reuniram-se na Mesquita do Conquistador, em Fatih, Istambul, para o estar presentes no funeral do jornalista assasinado no consultado da Arábia saudita.

Vários representantes do governo de Erdgoan também marcaram presença na cerimónia.

O Conselheiro da presidência turca, Yasin Aktay, discursou durante a cerimónia. "Ter um funeral sem corpo não é uma coisa normal." admitiu. "Mas esta cerimónia simbólica esmaga os rostos dos que cometeram o crime. Hoje toda a gente está a perguntar porque é que ele terá sido morto. E ter que responder a essas perguntas torna-se um pesadelo para os assassinos. E pode piorar.", disse Yasin Aktay.

Reuters
Cerimónias fúnebres em FatihReuters

Esta semana foi revelado que o governo turco detém gravações aúdio do momento em que os suspeitos combinam o assassinato, minutos antes do jornalista entrar no consulado e ainda do momento em que khasgoggi é morto. Nesta última gravação, ouvem-se os gritos do jornalista aquando é estrangulado.

Enquanto mais informações vêm ao de cima, surge o rumor de um possível acordo entre os EUA e a Turquia para diminuir a intensidade das investigaações. Tanto a administração trump como o governo turco negaram tal acordo.

Até agora onze pessoas são suspeitas de estar envolvidas no assassinato do jornalista. A Arábia Saudita pediu, entretanto, a pena de morte para cinco dos arguidos.