A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Brexit ainda tem um longo caminho pela frente

Brexit ainda tem um longo caminho pela frente
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Bruxelas deu luz verde ao Brexit ao aprovar o acordo possível com o Reino Unido mas se é verdade que foi dado um passo importante, não é menos verdade que ainda falta percorrer um longo caminho.

O Presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, não tem ilusões a esse respeito:

"Temos pela frente o difícil processo de ratificação, assim como as futuras negociações. Independentemente de como tudo acabar, uma coisa é certa: seremos amigos até ao fim dos dias."

A amizade resistiu ao impasse sobre Gibraltar, resolvido com Espanha a reclamar vitória. O assunto será tratado diretamente entre Londres e Madrid e promete trazer dores de cabeça a Theresa May no futuro, até lá, os problemas da primeira-ministra britânica não são as amizades mas sim os inimigos... sobretudo a nível interno.

Para a primeira-ministra britânica, a votação de dezembro na Câmara dos Comuns "será a mais importante no parlamento em vários anos e dependendo do resultado podemos seguir juntos em frente rumo a um futuro melhor ou abrir a porta a ainda mais divisão e incerteza."

Um discurso que terá de convencer não só a oposição, mas sobretudo os opositores ao acordo que estão dentro do próprio partido de May.

Richard Corbett é deputado trabalhista e esteve em Bruxelas a manifestar-se contra o acordo. A sua visão é partilhada por vários conservadores:

"O acordo de divórcio será provavelmente rejeitado pela Câmara dos Comuns. É mau para o Reino Unido e mau para a Europa, divide-nos. Por isso está aqui tanta gente, britânicos e não só, contra o acordo. O assunto não está encerrado."

Apesar da profunda divisão que se verifica no Reino Unido, o acordo teve o condão de unir o país. Infelizmente para May, o país uniu-se contra ela.