Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

O Brexit visto pelos escoceses

O Brexit visto pelos escoceses
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A Euronews viajou pelo Reino Unido para conhecer a opinião da população sobre o Brexit.

Nesta edição de Insight, o repórter Bryan Carter esteve na região fronteiriça entre a Inglaterra e a Escócia.

Na cidade inglesa de Carlisle, perto da fronteira escocesa, a redução da imigração foi uma das promessas que levou as pessoas a votarem a favor do Brexit. A decisão de sair da União Europeia e a incerteza atual em torno do processo de divórcio preocupa a comunidade polaca.

Imigrantes polacos temem discriminação

"Honestamente, não sei. Estou apenas preocupada como toda a gente. Se perguntar às pessoas da União Europeia, toda a gente dirá o mesmo. Pagamos impostos, pagamos tudo, estamos limpos. Tenho esperança que tudo se passe bem e que a lei seja a mesma para todos", afirmou Paulina, uma mulher polaca que vive há 14 anos na Grã-Bretanha.

"Os polacos estão preocupados com a vida aqui. Muitos foram-se embora, o que, de certo modo, é bom porque é um regresso às raízes. Mas, por outro lado, são pessoas que deram muito a este país e os polacos têm uma reputação fantástica em relação à ética profissional. Sinto-me orgulhosa por isso", sublinhou Acha, escocesa de origem polaca.

Escoceses preocupados com a economia

Depois da visita a Carlisle, o repórter da Euronews, Bryan Carter, rumou até à Escócia onde a esmagadora maioria das pessoas votaram contra o Brexit. 62% dos Escoceses votaram a favor da permanência do Reino Unido na União Europeia.

"As coisas não estão a correr bem. Parece que vai haver problemas em cada etapa do processo. É muito frustrante para mim. Cheguei a um ponto em que já não sei se quero saber como será o acordo. Só quero que haja um acordo, porque as coisas arrastam-se há demasiado tempo. Do meu ponto de vista, isso está a prejudicar a economia. Mesmo na minha área, vemos que as empresas e as marcas não querem investir porque toda a gente está a tentar perceber o que vai acontecer no futuro", disse Neil, um homem de 40 anos que trabalha em publicidade e que votou para que o país ficasse na União Europeia.

As zonas rurais temem pelo futuro

A Euronews visitou uma comunidade rural onde a incerteza sobre o Brexit ameaça empregos e meios de subsistência. Graham Ray é agricultor há quase meio século e é muito crítico em relação aos deputados de Westminster.

"Já ouvi coisas mais sensatas ditas por crianças na creche do que o que se diz no parlamento. Não faz sentido. Quando observamos o programa do parlamento, é inacreditável, vemos que eles se comportam como crianças. Nunca poderá haver um acordo que agrade a toda a gente. A votação do Brexit foi relativamente cerrada. Agora, é preciso tomar uma decisão e andar para a frente" afirmou Graham Ray, agricultor, em Kirkpatrick-Fleming, no sudoeste da Escócia.

"Há a possibilidade de não haver Brexit e de vivermos mais dois anos de indecisão e luta, sem que os governantes se ocupem de gerir o país. Não vale a pena criar tantos problemas. Tomámos uma decisão em referendo, não é preciso outro referendo", sublinhou Graham Ray.