Última hora

Última hora

O Brexit visto pelos escoceses

Em leitura:

O Brexit visto pelos escoceses

O Brexit visto pelos escoceses
Tamanho do texto Aa Aa

A Euronews viajou pelo Reino Unido para conhecer a opinião da população sobre o Brexit.

Nesta edição de Insight, o repórter Bryan Carter esteve na região fronteiriça entre a Inglaterra e a Escócia.

Na cidade inglesa de Carlisle, perto da fronteira escocesa, a redução da imigração foi uma das promessas que levou as pessoas a votarem a favor do Brexit. A decisão de sair da União Europeia e a incerteza atual em torno do processo de divórcio preocupa a comunidade polaca.

Imigrantes polacos temem discriminação

"Honestamente, não sei. Estou apenas preocupada como toda a gente. Se perguntar às pessoas da União Europeia, toda a gente dirá o mesmo. Pagamos impostos, pagamos tudo, estamos limpos. Tenho esperança que tudo se passe bem e que a lei seja a mesma para todos", afirmou Paulina, uma mulher polaca que vive há 14 anos na Grã-Bretanha.

"Os polacos estão preocupados com a vida aqui. Muitos foram-se embora, o que, de certo modo, é bom porque é um regresso às raízes. Mas, por outro lado, são pessoas que deram muito a este país e os polacos têm uma reputação fantástica em relação à ética profissional. Sinto-me orgulhosa por isso", sublinhou Acha, escocesa de origem polaca.

Escoceses preocupados com a economia

Depois da visita a Carlisle, o repórter da Euronews, Bryan Carter, rumou até à Escócia onde a esmagadora maioria das pessoas votaram contra o Brexit. 62% dos Escoceses votaram a favor da permanência do Reino Unido na União Europeia.

"As coisas não estão a correr bem. Parece que vai haver problemas em cada etapa do processo. É muito frustrante para mim. Cheguei a um ponto em que já não sei se quero saber como será o acordo. Só quero que haja um acordo, porque as coisas arrastam-se há demasiado tempo. Do meu ponto de vista, isso está a prejudicar a economia. Mesmo na minha área, vemos que as empresas e as marcas não querem investir porque toda a gente está a tentar perceber o que vai acontecer no futuro", disse Neil, um homem de 40 anos que trabalha em publicidade e que votou para que o país ficasse na União Europeia.

As zonas rurais temem pelo futuro

A Euronews visitou uma comunidade rural onde a incerteza sobre o Brexit ameaça empregos e meios de subsistência. Graham Ray é agricultor há quase meio século e é muito crítico em relação aos deputados de Westminster.

"Já ouvi coisas mais sensatas ditas por crianças na creche do que o que se diz no parlamento. Não faz sentido. Quando observamos o programa do parlamento, é inacreditável, vemos que eles se comportam como crianças. Nunca poderá haver um acordo que agrade a toda a gente. A votação do Brexit foi relativamente cerrada. Agora, é preciso tomar uma decisão e andar para a frente" afirmou Graham Ray, agricultor, em Kirkpatrick-Fleming, no sudoeste da Escócia.

"Há a possibilidade de não haver Brexit e de vivermos mais dois anos de indecisão e luta, sem que os governantes se ocupem de gerir o país. Não vale a pena criar tantos problemas. Tomámos uma decisão em referendo, não é preciso outro referendo", sublinhou Graham Ray.