A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

União Europeia unida sobre o Brexit

União Europeia unida sobre o Brexit
Direitos de autor
رويترز
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Enquanto o Reino Unido está mais dividido que nunca, a União Europeia parece ter encontrado uma causa para se unir... o acordo do Brexit, nomeadamente a questão da fronteira irlandesa.

O líder do Partido Popular Europeu diz que todos do seu grupo são irlandeses quando se trata de evitar repor uma fronteira física na ilha.

Também os verdes, pela voz do líder da bancada Philippe Lamberts, são bem claros sobre o tema:

"Se quiser manter unido o Reino Unido, então é todo o bloco que tem que permanecer intimamente ligado à União Europeia e é isso que os defensores do brexit não querem. Mas, isso não é porque a União Europeia é inflexível, é por causa do Acordo de sexta-feira feira santa. E se eles querem ver-se livres disso, então que o digam! Não se pode culpar a Irlanda ou a União Europeia, tem é de se culpar o Reino Unido e isso faria do Reino Unido um estado desonesto, lamento, mas isso não é respeitar os compromissos legais".

Com Theresa May em mais um périplo europeu, muitos perguntam-se o que ganhará a primeira-ministra britânica com estas viagens, já que não há mais negociações do acordo.

O líder dos Socialistas e Democratas, Udo Bullman, apresenta outra opção... não haver Brexit.

"A Europa falou: Do nosso lado já dissemos tudo o que era para dizer. E agora as decisões têm de ser tomadas em Londres. Não há espaço para negociações porque não defendemos o Brexit, a minha bancada dos Socialistas e Democratas gostaria de ver um Reino Unido que faz uso da capacidade de revogar o Artigo 50 e de ficar".

Sair ou ficar. Acordo ou sem acordo. O tempo está a contar para o dia em que a bandeira britânica deixará de estar nas instituições europeias.