A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Filha do fundador da Huawei libertada sob fiança

 Filha do fundador da Huawei libertada sob fiança
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

No Canadá, foi libertada, sob fiança, a filha do fundador da Huawei. Meng Wanzhou tinha sido detida, a um de dezembro, em Vancouver, a pedido de Washington. Os EUA emitiram, em agosto, um mandado de captura, alegando violação das sanções comerciais que o país impôs ao Irão. Dizem que a Huawei negociou com o país através de uma empresa, criada para o efeito em solo americano, a SkyCom, com o Irão. A empresária fica a aguardar em liberdade que um tribunal decida se é ou não extraditada.

É mais um capítulo na guerra comercial entre Washington e Pequim. Um conflito que passa pela concorrência entre a Huawei e a Apple. Ainda assim, e para o bem da trégua firmada entre os dois países, o presidente Trump afirmava que poderia intervir no caso, "se necessário".

Portugal e França mantém-se à margem da guerra comercial, entre os EUA e a China. Os dois países, e apesar das reticências colocadas pela União Europeia, firmaram o seu apoio à Huawei. Em Portugal a Altice assinou mesmo um contrato com a empresa de tecnologia de telecomunicações para o desenvolvimento do 5G, que deverá ser lançado no próximo ano.

Em Paris decorreu mais um fórum económico-financeiro China-França e o ministro francês das Finanças, Bruno Le Maire, frisou que os investimentos da Huawei são "bem-vindos" no seu país. No mês passado a Huawei informava que ia abrir um novo centro de investigação em território gaulês, numa tentativa de "apoiar as empresas nos seus projetos de transformação digital".