A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Der Spiegel apanhado pelas "fake news"

Der Spiegel apanhado pelas "fake news"
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Claas Relotius, o jornalista alemão que admitiu ter inventado o conteúdo de várias reportagens, devolveu quatro prémios de imprensa que recebeu. A CNN retirou-lhe dois prémios, de Jornalista do Ano, que Relorus tinha recebido por trabalhos feitos para a revista suíça "Reportagen". O escândalo estalou quando a revista "Der Spiegel" se viu obrigada assumir que o referido repórter tinha inventado factos e entrevistados em vários artigos, depois de uma denúncia e do jornalista ter admitido o que fez.

"Ele agia de forma ousada, comunicava as suas investigações, conversava com os seus chefes quando havia problemas, ele envolvia, praticamente, toda a gente nas suas investigações para que se criasse uma ilusão, era impossível para nós compreender o que se estava a passar", adianta Susanne Beyer, vice-editora-chefe da revista.

A "Der Spiegel", a empresa que gere a revista despediu-o enquanto uma comissão analisa os seus trabalhos.

"Temos de lidar com isto como sendo uma ofensa e deixar claro que aqui também são cometidos erros, também aqui pode haver criminosos, e é assim que eu vejo este caso, que deve ser totalmente clarificado", afirma Frank Überall, presidente da Federação alemã de Jornalistas.

Relotius, de 33 anos, admitiu ter inventado, fabricado ou usado citações falsas em pelo menos 14 histórias, em várias publicações.