Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

As atribuladas eleições na RD Congo

As atribuladas eleições na RD Congo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Filas a perder de vista, chuva torrencial, inundações e máquinas de voto avariadas. Atrasos na abertura das urnas, violência e acusações de fraude. Houve de tudo nas eleições presidenciais da República Democrática do Congo e onde se procura um sucessor para Joseph Kabila.

No cargo desde 2001, já deveria ter terminado o mandato em 2016 mas recusou-se a abandonar o poder até agora. Kabila exerceu o dever cívico na mesma escola de Emmanuel Ramazani Shadary. O antigo ministro do Interior é o candidato apoiado pelo presidente em funções, apesar das sanções da União Europeia por alegadas "violações dos direitos humanos" e "entraves ao processo eleitoral".

Felix Tshisekedi e Martin Fayulu são vistos como os principais opositores ao homem do regime na lista de 21 candidatos.

Na cidade de Beni, onde a votação foi cancelada devido ao medo das milícias e a um surto de Ébola, os cidadãos juntaram-se para uma votação simbólica mas não se repetiram os violentos protestos dos dias anteriores.

Existe ainda a lamentar um incidente na província de Kivu do Sul, onde uma discussão em torno de uma acusação de fraude descambou em violência e terá provocado quatro portos.