Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Brexit: o último apelo de Theresa May aos deputados

Brexit: o último apelo de Theresa May aos deputados
Tamanho do texto Aa Aa

Numa tentativa de última hora de salvar o acordo do Brexit que negociou com Bruxelas, Theresa May fez, através do jornal Sunday Express, um apelo aos deputados que devem votar na próxima terça-feira o texto do acordo.

A primeira-ministra afirma que a rejeição deixaria o Reino Unido numa "situação catastrófica" e significaria "uma quebra de confiança imperdoável na democracia", concluindo: "a minha mensagem para o parlamento é simples: É tempo de deixar de brincar e fazer o que é justo para o país".

Mas o que é justo para o país não é consensual e pode bem acontecer que o acordo seja chumbado, quer por defesores do Brexit - que o consideram um mau acordo; quer pelos europeístas que tentam fazer marcha atrás.

Aproveitando este ambiente confuso, Jeremy Corbin, o líder trabalhista, continua a defender eleições antecipadas se o parlamento disser não à proposta de May e afirma que apresentará uma moção de censura ao governo.Tudo, para evitar uma saída sem acordo.

"O meu ponto de vista é que prefiro obter um acordo negociado agora se pudermos parar o perigo de uma saída sem acordo da UE em 29 de março, o que seria catastrófico para a indústria, catastrófico para o comércio e os efeitos a longo prazo seriam enormes. Acho que o parlamento votou uma emenda ao projeto de lei de finanças esta semana, que indica sua oposição a que não haja nenhum acordo, mas não há nada específico nele. Nós faremos tudo que pudermos para evitar uma saída sem acordo. "

A emenda aprovada no parlamento obriga o executivo a apresentar, no prazo de três dias, um plano B. Outra emenda limita os poderes fiscais do governo em caso de não acordo.

Segundo o Sunday Times,um grupo de deputados - de todos os partidos - está a tentar modificar a regra de funcionamento da câmara dos comuns para que o governo perca a capacidade de governar se o acordo fôr rejeitado.