Última hora

Última hora

Trump 'corta asas' a Pelosi

Trump 'corta asas' a Pelosi
Tamanho do texto Aa Aa

"Uma decisão caprichosa, motivada pela vingança". A oposição a Donald Trump não poupa críticas ao veto da viagem da presidente da Câmara dos Representantes à Bélgica e ao Afeganistão.

O presidente dos Estados Unidos comunicou a decisão por escrito quando a caravana se preparava para partir. Na carta, divulgada entretanto publicamente, Trump refere-se à viagem de Pelosi como "uma excursão de sete dias" e diz que será remarcada para outra ocasião a não ser que a terceira figura do Estado queira deslocar-se em aviões comerciais.

As reações não se fizeram esperar.

Steny Hoyer, Representante Democrata do Maryland, diz que "as acções do presidente foram mesquinhas, maldosas e abaixo do comportamento de qualquer presidentes dos Estados Unidos. Nancy Pelosi é a terceira figura do Estado e esta atitude baixa e mesquinha é infelizmente demasiado comum para este presidente."

A defender a decisão de Trump, Kevin McCarthy, Representante da Califórnia e líder da minoria republicana."Ser presidente da câmara dos representantes e sair do país durante o shutdown não me parece apropriado. Especialmente quando se defende um debate sobre o estado da união. Penso que o melhor que podia acontecer era acalmarem-se, juntarem-se numa sala, porem o povo americano antes das viagens e resolverem o problema," afirma McCarthy.

Ironicamente, o veto à viagem de Pelosi aconteceu à hora que Melania Trump partia, no avião de Estado, para uma estância de férias na Florida.

Trump diz querer que Nancy Pelosi fique em Washington para negociar o fim da paralisação parcial do governo. Há quase um mês que o orçamento de execução está congelado. Pelosi diz que aceita voltar a negociar o financiamento do muro com o México se a paralisação terminar.