Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

"Coletes amarelos" não acreditam em Macron

"Coletes amarelos" não acreditam em Macron
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Milhares de "coletes amarelos" voltaram à rua em várias cidades francesas, indiferentes ao debate nacional lançado pelo Presidente da República. Emmanuel Macron quer chegar a um compromisso, mas os manifestantes desconfiam da boa fé da proposta.

Dominique Laurence, vestiu o colete amarelo para marcar presença nas ruas de Paris. Diz nada esperar do governo, mas ao mesmo tempo lança um apelo: "eles têm de nos ouvir, parar de bater na população e parar de nos dividir como estão a fazer agora - o que é contra a sua missão".

Os manifestantes continuam a pedir a demissão de Macron e exigem que a polícia deixe de usar balas de borracha para dispersão multidões. As autoridades contabilizaram 27 mil pessoas nas ruas; menos 5 mil do que na semana passada.

Foram destacados 80 mil agentes de segurança para garantir a ordem. 5 mil mobilizados só para a capital francesa.

Em Paris, em plena Praça da Bastilha e sem coletes amarelos, as organizações e associações francesas de jornalistas quiseram marcar posição. Foi lançada uma petição pelo fim da violência e da hostilidade para com a Comunicação Social.

O jornalista François Pitrel resume o objetivo desta ação: "Hoje, ao fim de quase dois meses de manifestações dos coletes amarelos, há violência, agressões, ameaças de morte e de violação para com alguns repórteres. É inaceitável numa democracia e queremos mostrá-lo dizendo que somos livres de informar em França," afirma.