Última hora

Última hora

Bolsonaro é estrela do primeiro dia de Davos

Bolsonaro é estrela do primeiro dia de Davos
Direitos de autor
REUTERS/Arnd Wiegmann
Tamanho do texto Aa Aa

Jair Bolsonaro, o presidente do Brasil, marcou o primeiro dia da reunião do Fórum Económico e Mundial, em Davos. Na primeira viagem ao estrangeiro, o chefe de Estado brasileiro prometeu por o Brasil na agenda dos investidores internacionais. "Até ao fim da minha presidência, a nossa equipa económica, liderada pelo Ministro Paulo Guedes, vai por-nos na lista dos 50 melhor países para investir", garantiu.

O Presidente brasileiro moderou o discurso em relação às questões ambientais, foco de grande atenção desde a sua eleição por ter chegado a anunciar a saída do Brasil do Acordo de Paris sobre o clima. Bolsonaro defende agora que "a missão é avançar na compatibilização da protecção do meio ambiente e da biodiversidade, com o necessário desenvolvimento económico, lembrando que são interdependentes e indissociáveis".

"É possível ganhar dinheiro e proteger o ambiente"

Bertrand Piccard, o piloto suíço e fundador da "Solar Adventure" que está a desenvolver um avião que funcione exclusivamente com energia solar, está em Davos à procura de investimento, mas com uma mensagem clara: "Não faz sentido falar das alterações climáticas aos ecologistas, que já estão convencidos. O que quero é falar à comunidade empresarial e mostrar-lhes as soluções para combater as alterações climáticas e proteger o ambiente que são rentáveis, criando postos de trabalho e gerando dividendos para a indústria, comércio e para tudo. Podes ganhar muito dinheiro e ao mesmo tempo proteger o ambiente."

REUTERS/Arnd Wiegmann

Na estreia como entrevistador, o Príncipe William teve pela frente David Attenborough, o historiador e apresentador veterano de programas sobre a vida selvagem. O Duque de Edimburgo quis saber "porque é que os líderes mundiais e os que têm posições de poder demoraram tanto tempo a reagir aos desafios ambientais." Attenborough diz que o mundo demorou tempo a perceber, "mas agora vemos que quase tudo o que fazemos tem o seu eco, duplicações e inter-implicações em toda a natureza. Por isso temos que ter cuidado de facto com o que fazemos, porque podemos exterminar coisas sem sequer saber".

A 49.ª reunião anual do Fórum Económico Mundial começou esta segunda-feira. Uma edição marcada pela ausência do Presidente norte-americano, Donald Trump, e também dos líderes políticos da França e Reino Unido.

O ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, lidera a comitiva portuguesa em Davos.