Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Nicolás Maduro quer eleições antecipadas para o Parlamento

Nicolás Maduro quer eleições antecipadas para o Parlamento
Tamanho do texto Aa Aa

Eleições parlamentares antecipadas - é esta a estratégia de Nicolás Maduro no braço de ferro com Juan Guaidó pela presidência da Venezuela.

Numa manifestação perante milhares de apoiantes, na avenida Bolívar, em Caracas, o presidente venezuelano colou as suas intenções à agenda da Assembleia Constituinte, composta essencialmente por apoiantes do regime, para colocar em causa a legitimidade de Guaidó como presidente da Assembleia Nacional.

"A Assembleia Constituinte tem na sua agenda a avaliação constitucional, histórica e política de convocar eleições parlamentares ainda este ano. Estou de acordo que se relegitime o poder legislativo do país e que sejam eleições livres", afirmou.

Na comemoração dos 20 anos da revolução bolivariana iniciada por Hugo Chávez no país, Maduro desafiou a oposição a desligar-se do que diz ser o imperialismo dos Estados Unidos.

"Abandonem o caminho do intervencionismo ianque e das chamadas para a guerra. Que deixem de apoiar um golpe de estado que já fracassou", acrescentou.

A oposição detém atualmente a maioria no parlamento na Venezuela e está ao lado de Juan Guaidó, que se autoproclamou presidente interino a 23 de janeiro. Se não forem antecipadas, as eleições legislativas na Venezuela estão previstas somente para finais de 2020.

Durante o discurso Nicolás Maduro disse ainda apoiar a proposta de diálogo, com a oposição, feita pelos Governos do "México, Uruguai e da Caricom" [paises da Comunidade Caribenha]. "No dia que queiram, como queiram, quando queiram, estou disposto a falar", vincou.

Segundo Nicolás Maduro, na Venezuela "há só um" Presidente. "Eu é que sou o Presidente de toda a Venezuela", concluiu.

Nicolás Maduro fez ainda um apelo aos milicianos e jovens na idade de prestar o serviço militar para que se inscrevam para fazer parte dos militares ativos do Exército venezuelano.