EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Nicolás Maduro quer eleições antecipadas para o Parlamento

Nicolás Maduro quer eleições antecipadas para o Parlamento
Direitos de autor 
De  João Paulo Godinho
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O presidente venezuelano espera assim colocar em causa a liderança de Juan Guaidó na Assembleia Nacional.

PUBLICIDADE

Eleições parlamentares antecipadas - é esta a estratégia de Nicolás Maduro no braço de ferro com Juan Guaidó pela presidência da Venezuela.

Numa manifestação perante milhares de apoiantes, na avenida Bolívar, em Caracas, o presidente venezuelano colou as suas intenções à agenda da Assembleia Constituinte, composta essencialmente por apoiantes do regime, para colocar em causa a legitimidade de Guaidó como presidente da Assembleia Nacional.

"A Assembleia Constituinte tem na sua agenda a avaliação constitucional, histórica e política de convocar eleições parlamentares ainda este ano. Estou de acordo que se relegitime o poder legislativo do país e que sejam eleições livres", afirmou.

Na comemoração dos 20 anos da revolução bolivariana iniciada por Hugo Chávez no país, Maduro desafiou a oposição a desligar-se do que diz ser o imperialismo dos Estados Unidos.

"Abandonem o caminho do intervencionismo ianque e das chamadas para a guerra. Que deixem de apoiar um golpe de estado que já fracassou", acrescentou.

A oposição detém atualmente a maioria no parlamento na Venezuela e está ao lado de Juan Guaidó, que se autoproclamou presidente interino a 23 de janeiro. Se não forem antecipadas, as eleições legislativas na Venezuela estão previstas somente para finais de 2020.

Durante o discurso Nicolás Maduro disse ainda apoiar a proposta de diálogo, com a oposição, feita pelos Governos do "México, Uruguai e da Caricom" [paises da Comunidade Caribenha]. "No dia que queiram, como queiram, quando queiram, estou disposto a falar", vincou.

Segundo Nicolás Maduro, na Venezuela "há só um" Presidente. "Eu é que sou o Presidente de toda a Venezuela", concluiu.

Nicolás Maduro fez ainda um apelo aos milicianos e jovens na idade de prestar o serviço militar para que se inscrevam para fazer parte dos militares ativos do Exército venezuelano.

Outras fontes • Reuters / Lusa

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Juan Guaidó espera mais apoio entre países europeus e nos militares

Venezuela desqualifica candidata presidencial da oposição María Corina Machado

Sérvia: oposição sai à rua e denuncia fraude nas eleições