Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Autoridade alemã da Concorrência aperta cerco ao Facebook

Autoridade alemã da Concorrência aperta cerco ao Facebook
Direitos de autor
REUTERS/Dado Ruvic
Tamanho do texto Aa Aa

Deter a fusão indiscriminada de todas as informações é o objetivo maior da Autoridade alemã da Concorrência (Bundeskartellamt). O organismo proibiu o Facebook de anexar automaticamente ao perfil dos utilizadores da rede social os dados recolhidos através das contas nas filiais Whatsapp e Instagram.

Em conferência de imprensa, o presidente da Autoridade alemã da Concorrência, Andreas Mundt, disse que sem a limitação da exploração das informações pessoais o Facebook ficaria em situação de "posição dominante."

Na prática, pretende-se forçar uma "adaptação do modelo económico ao direito da concorrência", acrescentou Mundt.

O gigante norte-americano dispõe de quatro meses para apresentar à Autoridade da Concorrência alterações às condições de utilização. Terão depois de ser aprovadas.

O Whatsapp e Instagram poderão continuar a recolher os próprios dados. Só poderão ser adicionados aos dados dos utilizadores do Facebook através de "consentimento explícito."