Autoridade alemã da Concorrência aperta cerco ao Facebook

Autoridade alemã da Concorrência aperta cerco ao Facebook
Direitos de autor REUTERS/Dado Ruvic
De  Euronews com Lusa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Facebook está proibido de anexar os dados obtidos através do Whatsapp e Instagram ao perfil dos seus utilizadores

PUBLICIDADE

Deter a fusão indiscriminada de todas as informações é o objetivo maior da Autoridade alemã da Concorrência (Bundeskartellamt). O organismo proibiu o Facebook de anexar automaticamente ao perfil dos utilizadores da rede social os dados recolhidos através das contas nas filiais Whatsapp e Instagram.

Em conferência de imprensa, o presidente da Autoridade alemã da Concorrência, Andreas Mundt, disse que sem a limitação da exploração das informações pessoais o Facebook ficaria em situação de "posição dominante."

Na prática, pretende-se forçar uma "adaptação do modelo económico ao direito da concorrência", acrescentou Mundt.

O gigante norte-americano dispõe de quatro meses para apresentar à Autoridade da Concorrência alterações às condições de utilização. Terão depois de ser aprovadas.

O Whatsapp e Instagram poderão continuar a recolher os próprios dados. Só poderão ser adicionados aos dados dos utilizadores do Facebook através de "consentimento explícito."

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

União Europeia acusa Google de concorrência desleal e sugere venda de parte do negócio

Bruxelas quer saber o que a Meta e o TikTok estão a fazer para mitigar conteúdos falsos violentos

"Fica-se marcado para toda a vida": Trabalhadores processam a Meta alegando que o visionamento de vídeos brutais causou traumas psicológicos