Última hora

Visita de Luigi di Maio aos "coletes amarelos" irrita Paris

Visita de Luigi di Maio aos "coletes amarelos" irrita Paris
Tamanho do texto Aa Aa

O encontro do primeiro-ministro adjunto italiano, Luigi di Maio, com representantes dos 'coletes amarelos' gerou um incidente diplomático entre França e Itália. Paris considerou "inaceitável" a visita do governante italiano e avisou para possíveis consequências nas relações dos dois países.

"O Sr. Di Maio, que detém responsabilidades governamentais, deve tomar cuidado para não prejudicar, por sua interferência repetida, as nossas relações bilaterais, no interesse da França e da Itália", referiu o Ministério dos Negócios Estrangeiros gaulês.

O momento foi imortalizado com uma publicação no Twitter, onde Di Maio refere que os ventos de mudança atravessaram os Alpes e manifesta apoio aos manifestantes.

Na foto publicada pelo líder do movimento populista 5 estrelas é possível encontrar Christophe Chalençon, um dos líderes dos coletes amarelos, e membros da lista de Ingrid Levavasseur, outra das líderes dos 'coletes amarelos' para as eleições europeias.

No entanto, o encontro também não foi consensual dentro do grupo de protesto francês, uma vez que Ingrid Levavasseur - que não se encontrou com Di Maio - disse que Chalençon não é porta-voz da sua lista para as Europeias, em maio.

"A reunião foi organizada pelas minhas costas. O que Chalençon fez foi desonroso. Só lamento que Di Maio tenha sido apanhado de surpresa por toda essa situação e certamente não é culpa dele", afirmou Levavasseur em declarações à ANSA.

O movimento dos coletes amarelos começou em outubro de 2018 e desde então tem feito manifestações em França todas as semanas.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.