Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Maduro disposto a receber grupo de contacto

Maduro disposto a receber grupo de contacto
Direitos de autor
REUTERS/Andres Martinez Casares
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Nicolás Maduro ridiculariza a ajuda humanitária enviada pelos Estados Unidos, mas diz-se disposto a uma abertura diplomática.

A assistência enviada por Washington está bloqueada na cidade fronteiriça colombiana de Cúcuta. O presidente venezuelano diz que é aí que deve ser distribuída e afirma tratar-se de "migalhas", quando ao mesmo tempo os Estados Unidos "apertam o pescoço" da Venezuela com um bloqueio e sanções.

Em relação ao encontro do Grupo de Contacto Internacional para a Venezuela, Maduro afirmou que " a União Europeia e [a chefe da diplomacia europeia] Federica Mogherini estão condenadas ao fracasso se continuam a dar ouvidos e obedecer à extrema-direita venezuelana". Maduro disse rejeitar "a parcialidade e ideologia do documento do grupo", mas sublinhou estar "disposto a receber qualquer enviado do grupo para estabelecer contacto".

O presidente da assembleia venezuelana e autoproclamado presidente interino, Juan Guaidó, classificou por seu lado de um "crime contra a humanidade" o facto do regime de Caracas impedir a entrada da ajuda humanitária que se acumula na fronteira com a Colômbia.

Os Estados Unidos apelaram ao Exército venezuelano para permitir a passagem da assistência.