Maduro disposto a receber grupo de contacto

Maduro disposto a receber grupo de contacto
Direitos de autor REUTERS/Andres Martinez Casares
Direitos de autor REUTERS/Andres Martinez Casares
De  Rodrigo Barbosa com EFE / Reuters
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Nicolás Maduro ridiculariza ajuda humanitária dos EUA bloqueada na fronteira colombiana, mas diz-se disposto a receber enviado do Grupo de Contacto Internacional para a Venezuela

PUBLICIDADE

Nicolás Maduro ridiculariza a ajuda humanitária enviada pelos Estados Unidos, mas diz-se disposto a uma abertura diplomática.

A assistência enviada por Washington está bloqueada na cidade fronteiriça colombiana de Cúcuta. O presidente venezuelano diz que é aí que deve ser distribuída e afirma tratar-se de "migalhas", quando ao mesmo tempo os Estados Unidos "apertam o pescoço" da Venezuela com um bloqueio e sanções.

Em relação ao encontro do Grupo de Contacto Internacional para a Venezuela, Maduro afirmou que " a União Europeia e [a chefe da diplomacia europeia] Federica Mogherini estão condenadas ao fracasso se continuam a dar ouvidos e obedecer à extrema-direita venezuelana". Maduro disse rejeitar "a parcialidade e ideologia do documento do grupo", mas sublinhou estar "disposto a receber qualquer enviado do grupo para estabelecer contacto".

O presidente da assembleia venezuelana e autoproclamado presidente interino, Juan Guaidó, classificou por seu lado de um "crime contra a humanidade" o facto do regime de Caracas impedir a entrada da ajuda humanitária que se acumula na fronteira com a Colômbia. 

Os Estados Unidos apelaram ao Exército venezuelano para permitir a passagem da assistência.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Apelo ao reforço da Operação Aspide de proteção dos navios do Mar Vermelho

Funcionário sueco da UE detido há dois anos no Irão

Líderes da União Europeia condenam ataque do Irão a Israel e apelam à contenção