EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Viktor Órban lança avisos `"à navegação"

Viktor Órban lança avisos `"à navegação"
Direitos de autor 
De  Nara Madeira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Primeiro-ministro húngaro diz que a Europa está numa "encruzilhada".

PUBLICIDADE

No discurso anual sobre o estado da Nações Viktor Órban afirmou que a Europa está numa "encruzilhada". Para o primeiro-ministro húngaro as eleições europeias serão definidas pela crise migratória:

"Nós, na Europa Central, vamos construir o nosso próprio futuro, vamos viver, salvar os nossos mil anos de tradição, defender a nossa economia, a nossa família e a cultura cristã", afirmou o chefe do executivo. No seu discurso Órban afirmou que os países que receberem refugiados vão ver o número de fiéis católicos diminuir.

Em relação ao crescimento económico do país acrescentou que pretende manter o crescimento de 2 pontos percentuais, acima da média Europeia, para os próximos anos, isto apesar de se esperar um abrandamento global.

Domingo à tarde o número de pessoas que saiu às ruas era mais reduzido mas, ainda assim, as críticas ao governo e ao estado da democracia na Hungria fizeram ouvir-se:

"Temos pela frente as eleições Europeias. A Europa deve perceber que aquilo o Primeiro-ministro está a fazer na Hungria é uma ameaça para toda a Europa", afirmou Zsolt Gréczy deputado pela Coligação Democrática.

"O senhor, querido Viktor, fez do seu povo o segundo mais pobre da União Europeia. Nos últimos três anos, 10 mil famílias húngaras acabaram a viver nas ruas, graças a si", afirmou Péter Jakab, deputado do Jobbik13.

Orbán tem concretizado reformas controversas, virando as costas à União Europeia, principalmente no que diz respeito à crise migratória.

Entre as mudanças que criaram polémica e contestação está a nova lei do trabalho.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Televisão pública húngara emite debate político pela primeira vez em 18 anos

Na Hungria, uma nova oposição liderada por Péter Magyar desafia Viktor Orbán

Opositor de Orbán mobiliza milhares em manifestação anti-governo