EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Pompeo promete aumentar pressão sobre o Irão

Pompeo promete aumentar pressão sobre o Irão
Direitos de autor Agencja Gazeta/Slawomir Kaminski via REUTERS
Direitos de autor Agencja Gazeta/Slawomir Kaminski via REUTERS
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Secretário de Estado norte-americano prometeu trabalhar "para aumentar a pressão sobre o Irão" na cimeira de Varsóvia sobre o Médio Oriente

PUBLICIDADE

O secretário de Estado norte-americano Mike Pompeo disse que Washington vai continuar a trabalhar para "aumentar a pressão sobre o Irão", na cimeira de Varsóvia sobre o Médio Oriente que acabou centrada nas políticas face ao regime de Teerão.

Ao mesmo tempo, o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, acusou "alguns dos principais parceiros europeus de não serem suficientemente cooperativos, liderando, na realidade, esforços para criar mecanismos para deitar por terra as sanções [dos Estados Unidos]".

Entre os alvos das críticas, encontram-se a França, o Reino Unido e a Alemanha. A Polónia, anfitriã do encontro, quis deixar uma mensagem mais conciliatória.

O chefe da diplomacia polaca, Jacek Czaputowicz, afirmou que "o objetivo das atividades de longo alcance será desenvolver uma visão positiva para toda a região" e acrescentou que espera que "os resultados dos grupos de trabalho sejam a base para futuros encontros sobre o Médio Oriente, como parte do processo de Varsóvia".

A cimeira na Polónia ficou marcada pelas ausências de elementos-chave no Médio Oriente, com a Autoridade Palestiniana e o Líbano e, em particular, o Irão, a Turquia e a Rússia, estes três últimos reunidos em paralelo noutra conferência na estância russa de Sochi.

O professor Michal Chorosnicki, da Universidade Jaguelônica de Cracóvia, diz que "os resultados da cimeira serão tratados pelo Irão e aliados como uma tentativa para cercar o país e impôr a vontade externa".

O correspondente da euronews em Varsória, Leslek Kablak, afirma que "a fé faz milagres, mas atualmente só um milagre pode reunir Israel e o Irão e, infelizmente, todos têm consciência disso".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Rouhani rejeita saída de Zarif do Ministério dos Negócios Estrangeiros

Irão testa míssil de cruzeiro lançado de submarino

Está à procura de um artigo online de 2013? Pode ter desaparecido por culpa deste fenómeno